20 August 2012

MATANÇA DE CRISTÃOS - THE KILLING OF CHRISTIANS

morte-cristaos

MATANÇA ISLÂMICA VARRE NORTE DA NIGÉRIA

A Nigéria, país de 160 milhões de habitantes, tem grande população muçulmana no norte e Cristã no sul. Embora os adeptos das duas religiões convivam e trabalhem juntos, os ataques do Boko Haram desde o ano passado elevaram as tensões entre os grupos.

A tradução literal de Boko Haram, uma expressão na língua hauçá, significa "educação ocidental é um sacrilégio", sendo que a seita teria sido responsável no passado ano, pela morte de 1.000 Cristãos.

Recentemente, homens armados cercaram a Igreja Cristã em Otite, durante a missa, e abriram fogo com kalashnikovs, deixando 20 mortos, inclusive o pastor. Segundo a polícia, o ataque ocorreu durante uma missa na igreja Deeper Life, a cerca de 250 km da capital, Abuja.

Pela manhã, manchas de sangue ainda eram vistas no chão. Soldados buscaram os suspeitos durante a madrugada, mas nenhuma prisão foi feita. A seita Boko Haram havia prometido matar Cristãos, caso estes não abandonem o norte do país, de maioria islâmica, ao mesmo tempo que apelavam à minoria muçulmana do sul para se deslocar para o norte.

Na capital do Estado de Adamawa, homens armados e com o rosto encoberto atacaram outra Igreja Cristã, onde 10 pessoas foram mortas, "como animais", segundo a fonte local da Associated Press.

Para os habitantes da Nigéria, a reação das autoridades tem sido demasiadamente lenta, apesar do presidente do país, Goodluck Jonathan, ter decretado o estado de emergência em 31 de Dezembro, nos estados de Borno, Niger, Plateau e Yobe, ordenando que as fronteiras internacionais fossem fechadas nas regiões alvo do ataque islamista.

À lentidão das autoridades, junta-se a crítica à comunidade internacional e às Nações Unidas..."Espectadores passivos da matança" e, segundo um habitante da região, "cúmplices por omissão". Vemos que a comunidade internacional e as Nações Unidas assistem a matança "de camarote".



morte-cristaos

PERSEGUIÇÃO NO ORIENTE MÉDIO

Uma menina Cristã de 11 anos, com Síndrome de Down, foi acusada de blasfêmia e presa, em Islamabad, por queimar uma dezena de páginas do Corão, informou a Comunidade Cristã do Paquistão.

A "Christians in Pakistan" denunciou a detenção da menina através da sua página na Internet, referindo que a menor foi detida na sexta-feira passada na zona de Umara Jaffar, na capital paquistanesa. Uma alta patente policial da polícia de Ramna, da qual depende Umara Jaffar, confirmou ao diário Express Tribune o registro da acusação contra a menina.

A controversa lei da blasfêmia, aprovada durante o mandato do ditador militar Mohamed Zia-al-Haq (1977-88), contempla a possibilidade da pena de morte por difamação contra o Islã ou ao seu Profeta. Esta legislação tem sido utilizada para saldar contas por inimizades pessoais com elementos de grupos religiosos minoritários, denunciam numerosos ativistas e defensores dos Direitos Humanos que defendem que a lei seja revogada.

O Estado do Paquistão foi constituído em 1947 como pátria dos muçulmanos do subcontinente indiano, professando cerca de 97 por cento da população o credo muçulmano segundo o mais recente censo das autoridades.

Os representantes da comunidade Cristã confirmam que a menina tem a Síndrome de Down, e foi presa por exigência da multidão enfurecida que ameaçava incendiar as casas dos Cristãos locais, residentes nos subúrbios de Islamabad, capital do Paquistão. A família e outros parentes da menina abandonaram suas casas, em busca de segurança.
morte-cristaos

Ainda no Paquistão dois Cristãos foram mortos a tiros quando saíam de um tribunal, em Faisalabad, Paquistão. Rashid Emmanuel, 32, e seu irmão, Sajid, 30, estavam enfrentando acusações de blasfêmia, sob a alegação de que haviam distribuído panfletos que denegriam Maomé.

De acordo com testemunhas oculares e fontes da Voz dos Mártires, homens mascarados abriram fogo contra eles. Os pistoleiros pediram aos policiais muçulmanos para se afastarem dos Cristãos a fim de evitar serem atingidos. Nenhuma atitude foi tomada para evitar o assassinato, e ninguém foi preso.

Os assassinatos aconteceram cinco dias após especialistas afirmarem que as assinaturas nos panfletos eram falsas, e não dos acusados. Essa afirmação, estranhamente enfureceu a comunidade muçulmana, que organizou um protesto exigindo uma punição contra os dois Cristãos.

Rashid recebeu um telefonema, marcando um encontro de negócios na estação de trem. Quando chegou, foi cercado pela polícia carregando os panfletos que continham os escritos contra Mohammed, juntamente com as assinaturas e números de telefone de Rashid e seu irmão.

Fontes da Voz dos Mártires disseram que os muçulmanos comemoraram os assassinatos com chás e doces, proclamando que eles mereciam morrer por desrespeitar o Islã. O porta voz da Voz dos Mártires, Todd Nettleton, ressaltou a importância dos Cristãos ocidentais compreenderem a lei de blasfêmia no Paquistão.

"Estas leis são como uma vara para que os muçulmanos radicais possam bater nos nossos irmãos e irmãs Cristãos". Ainda segundo Nettleton: "Essa lei possibilita Cristãos serem presos e torturados enquanto aguardam por justiça, e esta situação pode arrastar-se durante anos".

morte-cristaos

As profecias de que haveriam perseguições contra Cristãos são verdadeiras, e esta tendência se agravará a cada ano que passa!

Segundo Leonard Leo, presidente da Comissão dos EUA para a Liberdade Religiosa Internacional, o Cristianismo no Afeganistão e no Iraque poderá ser erradicado nos nossos dias, e acrescentou ainda que os Cristãos egípcios enfrentarão possivelmente a mesma sorte.

Conforme o seu testemunho: "Este será o padrão em toda a região do Médio Oriente, e a fuga dos Cristãos para fora da região é impressionante e cresce de ano a ano", concluindo com uma sombria previsão de que os Cristãos podem desaparecer conjuntamente do Iraque, Afeganistão e Egito.


morte-cristaos

Um estudo recente do Grupo Internacional para os Direitos das Minorias, calcula que cerca de 1.000.000 de Cristãos fugiram do Iraque.

"Um dos grandes problemas desde o início foi que o nosso país e outros, foram incapazes de reconhecer que a luta no Iraque era maioritariamente um conflito sectário, e que não havia suficiente ênfase colocada na fuga de Cristãos e outras minorias religiosas, em especial na parte norte do Iraque", afirmou Leo à CNSNews.

A violência e a discriminação anti-Cristã no Egito, pode inspirar uma migração em massa da população Cristã copta do país, o que significa que os muçulmanos radicais egípcios alcançarão o seu objetivo.

Na opinião de Leo, o país está seguindo o mesmo destino do Iraque e do Afeganistão: "Com o que está  acontecendo no Egito e por causa das incertezas existentes, há muito pouco incentivo para que um jovem Cristão copta permaneça no país", afirmou Leo à TV, e acescentou: "Não me surpreenderia se virmos no Egito a mesma trajetória básica que vemos em outros países, isto é, levanta-te e vai embora".

morte-cristaos

Terceiro Segredo: "O Papa, o Clero e os Católicos fiéis serão sistematicamente perseguidos e brutalmente exterminados, por se recusarem a abraçar a falsa religião do Ecumenismo e da Liberdade Religiosa"

São Metódio: "Chegará o tempo em que os inimigos de Cristo se hão de vangloriar! Sujeitamos a terra e todos os seus habitantes, e os Cristãos não podem escapar das nossas mãos".

São Cesário de Arles: "Haverá uma grande carnificina, os altares e os templos serão destruídos, os pastores da Igreja abandonarão os seus púlpitos e a própria Igreja será despojada de tudo quanto é temporal."

"Que o zelo os torne como que famintos da glória e da honra de Jesus Cristo. Combatam, filhos da luz, porque chegou o tempo de todos os tempos, o fim de todos os fins".


0 comentários:

Post a Comment