04 December 2012

NOSSO RELACIONAMENTO COM JESUS - OUR RELATIONSHIP WITH JESUS

christ-and-children

Quando nos tornamos cidadãos do Reino de Deus, entramos num relacionamento com o nosso Rei, Jesus Cristo. Mas este relacionamento é muito diferente do tipo de relacionamento do qual se fala no Evangelho moderno e "fácil" dos dias de hoje. O próprio Jesus explicou o tipo de relacionamento que Ele deseja: "Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Todo o ramo em mim, que não dá fruto, o tira, e limpa todo aquele que dá fruto, para que dê mais fruto. Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. Estai em mim, e eu em vós. Como o ramo de si mesmo não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim".

O que Jesus quer dizer quando se refere a que demos fruto? Vejam alguns exemplos de como este termo é usado no Novo Testamento: "O fruto do Espírito é amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito. Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento, toda a árvore, pois, que não dá bom fruto, corta-se e lança-se no fogo. Aquele que dá a semente ao que semeia, também vos dê pão para comer, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa justiça, para que em tudo enriqueçais para toda a beneficência. Que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo o conhecimento, para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros e sem escândalo algum até ao dia de Cristo, cheios dos frutos de justiça que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus".

Estes são os "frutos de justiça" que crescem em nós quando permanecemos unidos à videira de Jesus. Estes frutos encaixam perfeitamente nos valores do Reino de Deus dos quais temos falado. Mas este fruto não cresce automaticamente. Temos que permanecer em Cristo e deixar que seu Pai nos pode. Temos que continuar andando no Espírito Santo. Se não dermos fruto, o Pai nos cortará da videira.

É por isso que a cidadania no Reino se baseia em relacionamento, o qual depende de que permaneçamos em Cristo e nos rendamos a ele e a seu Pai. Mas, como permanecemos em Cristo? Jesus nos disse bem claramente: "Se guardardes os meus Mandamentos, permanecereis no meu amor, do mesmo modo que eu tenho guardado os Mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor".

Jesus-Cristo

Portanto, permanecemos em Jesus Cristo não por cantarmos louvores a Ele, mas sim por obedecer-Lhe. E o que acontece se decidirmos não Lhe obedecer? Ele nos diz de maneira muito franca: "Se alguém não estiver em mim, será lançado fora como o ramo e secará, e os colhem e lançam ao fogo, e ardem". De maneira que nosso relacionamento com Jesus não é simplesmente um relacionamento qualquer, real ou imaginário. É um relacionamento de amor obediente. Na realidade, a frase "relacionamento de amor obediente" é redundante, porque é impossível amar a Jesus sem lhe obedecer!

Podemos declarar publicamente o quanto o amamos mas, sem obediência, são apenas palavras ocas. Pois Ele mesmo disse: "Aquele que tem os meus Mandamentos e os guarda, esse é o que me ama, e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele". Então, se não obedecemos a Jesus não o amamos. É simples assim! Pois bem, quando Jesus fala de obediência Ele se refere à obediência verdadeira, e não à obediência fingida que está tão na moda na atualidade. Seus verdadeiros Mandamentos são os que estão escritos no Novo Testamento. No entanto, o evangelho "fácil" de hoje diz que podemos desconsiderar os Mandamentos.

A maioria dos Cristãos trata os Mandamentos de Deus como se estes fossem simples sugestões. O que de fato vale, segundo este evangelho popular, são os impulsos subjetivos que vêm às nossas mentes. Estes são supostamente os verdadeiros "mandamentos" aos quais temos que ser obedientes. E por serem, supostamente, revelados pessoalmente a cada Cristão, cada pessoa torna-se o único juiz que pode declarar o que Deus pediu-lhe que fizesse ou não: é a ideologia de Lutero!

É como o velho conto do rei que se vestiu de um traje invisível: milhões de Cristãos fingem que seguem obedientemente a Cristo quando na verdade passam por alto e ignoram Seus Ensinamentos. Eles acham que muitos dos Seus mandamentos são enfadonhos! No entanto, eles obedecem aos impulsos subjetivos que vêm às suas mentes achando que estão obedecendo a Jesus. A verdade é que Jesus só realmente oferece uma direção pessoal aos que estão perto Dele.

Jesus disse a quem Ele se manifestaria desta forma: "Aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele". Como lemos anteriormente, os que o amam são os que guardam os seus Ensinamentos. Jesus disse a seus discípulos: "Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito, quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito".

INICIO-IGREJA-CATOLICA

Se não podemos ser fiéis no elementar, que são as instruções escritas e que se aplicam a todos os Cristãos, simplesmente nos enganamos e pensamos que Jesus nos dará instruções adicionais e especiais. Se não permanecermos na videira, dando fruto, Jesus não se manifestará em nós. No entanto, quando falamos dos mandamentos de Jesus, não pensem que acumulamos pontos por obedecermos aos Seus ensinamentos ou que ganhamos a nossa Salvação desta forma!

Como disse anteriormente, o único relacionamento aceitável para Ele é um relacionamento de amor. Também não se trata meramente de outra lei mosaica. Jesus não cumpriu em si mesmo a lei só para depois nos dar em seu lugar outra longa lista de regras similares! Jesus descreveu o que é a vida Cristã quando o amamos: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve".

Mas como isso é possível? Em outra parte, Jesus disse que temos que abandonar tudo por Ele. E até disse: "E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim. Quem achar a sua vida perde-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, acha-la-á"Realmente não parece um jugo fácil, pois agora chegamos ao paradoxo do Reino de Deus! Quando analisamos tudo isto do ponto de vista da carne, as declarações de Jesus parecem contraditórias. Mas no espírito suas declarações estão completamente em harmonia.

A vida do Reino nunca foi projetada para ser vivida na carne. A vida do Reino de Deus é para ser vivida no espírito em função do relacionamento com Jesus. Só quando entregamos nossa vida a Jesus Cristo é que seu jugo pode ser fácil e seu fardo leve! Seu fardo é leve quando nos separamos de todos os embaraços desta vida e nos devotamos ao serviço do Nosso Senhor. É só quando nossos corações estão livres das inquietudes e preocupações da vida neste mundo que podemos dizer como João: "Porque este é o amor de Deus. Guardemos os Seus Mandamentos, pois não são pesados".

Seus Ensinamentos se tornam fáceis quando nosso único reino é o Reino de Deus, e quando nossas almas se desprendem de todas as demais coisas. Por outro lado, serão muito pesados quando mantivermos um apego ao mundo e às nossas posses, poderes ou liberdades e, ao mesmo tempo, tentamos servir a Jesus Cristo.

JESUS CRISTO NÃO ERA JUDEU


0 comentários:

Post a Comment