10 March 2013

DESVENDANDO O APOCALIPSE - UNVEILING THE APOCALYPSE - 3ª PARTE

Apocalipse

O Livro do Apocalipse foi escrito apresentando a seguinte sequência dos eventos. No prólogo ou introdução, o Livro descreve  o que acontecia naquele momento da História, depois descreve as visões que João começara a perceber.

Finalmente relata os fatos futuros que hão de acontecer, os quais complementam todo o restante da Escritura. Os cavaleiros do apocalipse seguem a seguinte ordem.

Com o primeiro cavaleiro branco, o anticristo se revela: "Vi, então, e eis um cavalo branco e o seu cavaleiro com um arco, e foi-lhe dada uma coroa, e ele saiu vencendo e para vencer".

O cavaleiro vermelho significa a guerra generalizada que acontecerá no fim dos tempos: "E saiu outro cavalo, vermelho, e ao seu cavaleiro foi-lhe dado tirar a paz da Terra para que os homens se matassem uns aos outros, também lhe foi dada uma grande espada".

O terceiro cavaleiro, preto, trará a fome mundial: "Então vi, e eis um cavalo preto e o seu cavaleiro com uma balança na mão. E ouvi uma voz no meio dos quatro seres viventes dizendo; uma medida de trigo por um denário, três medidas de cevada por um denário, e não danifiques o azeite e o vinho".

O quarto cavaleiro, amarelo, trará as pestilências, doenças e a mortandade mundial: "E olhei, e eis um cavalo amarelo e o seu cavaleiro, sendo este chamado Morte, e o Inferno o estava seguindo, e foi-lhes dada autoridade sobre a quarta parte da terra para matar à espada, pela fome e por meio das feras da Terra".

O que é mais impressionante e assustador, é que os quatro cavaleiros do apocalipse são apenas precursores de julgamentos ainda piores que virão mais tarde, durante a Tribulação. A seguir, na cronologia do Apocalipse, os santos são martirizados e ocorrerão grandes cataclismos no Céu e na Terra. Segue com as trombetas anunciando a destruição.

Assim, a terça parte da Terra será consumida pelo fogo, e a terça parte do mar será destruída. A terça parte da água potável se tornará imprópria para o consumo. O sol perderá um terço da sua luminosidade, e a  terça parte da humanidade será extinta.

Apocalipse

Em sua sequência, o Apocalipse descreve a abertura das Taças. Estas trarão doenças, tumores, pestes generalizadas, o extermínio de toda a vida marinha e a extinção das águas potáveis.

A intensa irradiação solar se agravará profundamente, provocando a morte de milhões.  A seguir, iniciará a Batalha do Armagedom e a Babilônia será destruída, o anticristo imobilizado e preso nas profundezas da Terra.

No Juízo Final serão julgados todos os homens, e os salvos receberão o galardão e os ímpios sofrerão a condenação eterna.

Neste período, Jesus estará reinando como o Rei do Universo. Nestes tempos gloriosos, a Terra será um local de perfeita paz, como descreve o Apocalipse:

"Após estes mil anos, satanás, que esteve preso por todo este tempo, será solto para provar uma vez mais os habitantes da Terra. Por fim ele será lançado definitivamente no inferno, junto com todos os demônios, a morte e todos que não se encontrarem inscritos no Livro da Vida. Neste período de mil anos, Jesus Cristo reinará na Terra, junto com os Santos que foram ressuscitados no final da Grande Tribulação".

A Nova Jerusalém, no Apocalipse 21 e 22 de João, é o lugar onde toda a humanidade passará a eternidade, ao lado de Deus, do Senhor Jesus e do Espírito Santo. No capítulo II de Daniel, o rei Nabucodonosor tem um sonho. Uma estátua que, de acordo com a interpretação, representa o domínio babilônico.

A cabeça de ouro representa o domínio Medo-Persa. O peito e os braços de prata, o império Grego. O ventre de bronze, o último império, o romano. Este é dividido em duas partes. As duas pernas de ferro referem-se à época de Constantino e os pés de ferro misturados com barro referem-se ao futuro império romano, que muitos concordam ser a atual União Européia.

Seus dez dedos representam os dez países. A mesma simbologia é mostrada no capítulo 7 do Apocalipse de João, onde temos quatro animais que representam a Babilônia, os Medos e Persas, os Gregos e  finalmente o Império Romano.

Apocalipse

O Apocalipse descreve a trindade satânica. A besta será um líder político que preparará o caminho para o anticristo. O falso profeta, um líder religioso, que terá o propósito de promover o culto ao anticristo. Os textos que fazem referência ao anticristo indicam que este poderá ser um homossexual e blasfemador.

A Batalha do Armagedom é a de Jesus Cristo que, junto com Seu exército, defenderá Israel do ataque das nações confederadas no vale de Megido, onde se cumprirá a profecia de Daniel. Na Grande Tribulação as nações continuarão existindo como hoje, mas um só líder político governará o mundo.

Na metade da Grande Tribulação, uma aliança firmada com os judeus desde o início será quebrada, pois o anticristo ou satanás, vai querer receber adoração dentro do Templo judeu reconstruído. Como eles não aceitarão este fato, satanás reunirá muitas nações para varrer Israel do mapa.

Nesta hora ocorrerá a vinda de Jesus Cristo, que destruirá todos os inimigos dos judeus: "Ao invadirem Israel liderados pelo anticristo, satanás e seus demônios, o Senhor Jesus Cristo virá para matar a todos instantaneamente com a voz da Sua espada". Será desta forma fulminante, rápida e poderosamente que a profecia se cumprirá.

O Milênio será um período de mil anos a ser implantado logo após a Batalha do Armagedom. Satanás será solto por um tempo não determinado e seduzirá novamente as nações. Então será definitivamente lançado no lago de fogo e enxofre, onde já estão a besta e o falso profeta.

Basicamente, a Grande Tribulação fala do juízo, da ira de Deus, de castigo e indignação, de angústia, destruição e obscuridade. Pode-se datar com certa precisão a segunda vinda de Jesus Cristo. Basta identificar o início da Grande Tribulação e contar mais sete anos.
DESVENDANDO O APOCALIPSE - 4ª PARTE
DESVENDANDO O APOCALIPSE - 2ª PARTE

0 comentários:

Post a Comment