23 July 2013

PARÚSIA, O SEGUNDO ADVENTO - PAROUSIA, THE SECOND ADVENT

PARÚSIA-RETORNO-DE-JESUS

Parúsia é uma palavra derivada do grego antigo, que significa "presença, chegada, visita oficial", e na religião Cristã refere-se à Segunda Vinda de Cristo ou o Segundo Advento, representando a "Sua Vinda em Majestosa Glória". Quando o profeta João recebeu sua visão apocalíptica na ilha de Patmos, esta revelou-se na imagem do Filho do Homem transfigurado na luz da Glória de Deus. Da mesma forma, em sua visão, o profeta Zacarias contemplou a presença dominante de um homem montado num cavalo vermelho, interpretado como um Anjo do Senhor anunciando o advir de Jesus Cristo.

Mateus relatou este acontecimento futuro: "Porque como o relâmpago que sai do oriente e se mostra até o ocidente, assim será também a vinda do Filho do Homem. Pois como nos dias de Noé, comiam, bebiam e se casavam, até que veio o Dilúvio". A Parúsia de Jesus Cristo trará consigo a consumação desta era e um renascimento para a humanidade. A esperança da purgação do mal na Terra, durante este evento, sempre foi um dinamizador e motivador da Fé Cristã.

A Parúsia é considerada pelos fiéis como um dos maiores eventos da História da Cristandade, comparável à passagem de Jesus na Terra séculos atrás. Vivemos na antecipação de que Jesus retornará e trará Sua recompensa para aqueles que Lhe foram fiéis, o julgamento e o merecimento da Vida Eterna para os puros de espírito, com base nos atos e compromissos que foram exercidos durante nossas vidas.

Na Segunda Vinda de Jesus Cristo ocorrerá o encarceramento de satanás, a exclusão de todo o mal que permeia a humanidade e a instauração do Reino de Deus, beneficiando aqueles que amaram e serviram com retidão Nosso Senhor. Em seguida compartilharemos uma existência em que o pecado estará ausente e a Verdade absoluta será total e finalmente conhecida.

Assim, a Parúsia é o evento que gera grande expectativa em nossas vidas, não importando se ocorrerá este ano ou daqui a milhares de anos, porque sempre será um dos pontos culminantes da Fé Cristã.

PAROUSIA-THE RETURN-OF-JESUS

Muitos ateus, filósofos, ideólogos e outros "pensadores", arrogantemente renegam a Parúsia e a realidade do julgamento final por Jesus. Eles negam o Seu retorno e duvidam da veracidade da Palavra de Deus. Eles também negam a pregação dos apóstolos que foi repassada e gravada na Lei do Novo Testamento. E pior, muitos desses descrentes, que também existiam no passado, se consideram Cristãos.

Eles conhecem as Escrituras, mas negam a Palavra de Deus. Eles certamente tiveram tempo suficiente para conhecer os familiares ensinamentos de Jesus, e sabem, por exemplo, que Jesus assim aconselhou a seus seguidores: "Sempre que vos perseguirem numa cidade, fujam para outra, pois em verdade vos digo, não se deve terminar de percorrer todas as cidades até que o Filho do Homem retorne". Nós todos sabemos que Jesus afirmou que retornaria, e Seus discípulos disseram-nos quando aconteceria e quais seriam os sinais do fim dos tempos.

Jesus também afirmou: "Logo depois da tribulação daqueles dias, o sol escurecerá e a lua não dará a sua luz, as estrelas cairão do firmamento e os poderes dos Céus serão abalados e, em seguida, o sinal do Filho do Homem aparecerá. Então todas as tribos da Terra se lamentarão, e eles verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens com grande poder e Glória. Estejam em alerta porque não se sabe em que dia voltará o vosso Senhor. Eu estou indo embora para a casa do Pai, e prepararei um lugar para vós, mas voltarei, e vos receberei, para que onde eu estiver estejais vós também".

Em Atos, o testemunho do Anjo do Senhor também confirmou: "Este mesmo Jesus, que dentre vocês foi elevado aos Céus, voltará da mesma forma quando o viram partir". Literalmente isto quer dizer que Jesus retornará com a mesma aparência que foi conhecida pelos humanos.

PARÚSIA-RETORNO-DE-JESUS

Não há mais dúvida de que Jesus afirmou que voltaria, e o fato é citado em vários capítulos do Evangelho. Os escritores do Novo Testamento acreditavam que Ele quis dizer exatamente o que afirmou, isto é, que retornaria para a Terra. Mas os atuais escarnecedores e zombadores continuam dizendo com sarcasmo: "Onde está Jesus, já não deveria estar voltando?" Esta é uma forma de negação gratuita dos ensinamentos de Jesus e dos relatos dos apóstolos, pois eles sabem muito bem que Jesus disse que retornaria.

O apóstolo Pedro predisse: "Basta saber que nos últimos dias virão os escarnecedores com os seus escárnios, e que segundo as suas próprias concupiscências dirão: Onde está o cumprimento da promessa do Seu retorno?" Na época da Igreja primitiva os fiéis contavam que Jesus voltaria em breve: "Você vai neste momento trazer o Seu Reino? Quando for embora qual será o sinal do Seu retorno? Ele será próximo?", perguntavam a Jesus, pois acreditavam que seria imediato, durante suas vidas.

Mas Pedro sabia que não ia ser em sua vida porque Jesus lhe dissera: "Pedro, em verdade vos digo, que quando eras mais moço você fez exatamente o que pretendera, mas quando envelhecer você estenderá as mãos". Esta pequena frase, "você estenderá as mãos", era usada pelos antigos Cristãos para descrever a crucificação. Jesus assim profetizou, e Pedro foi crucificado. Disse Jesus: "Pedro, alguém vai cingir e levar-te para onde não queres ir, e tu morrerás antes do meu retorno".

Assim, Pedro sabia que não viveria até a Segunda Vinda de Jesus. Sabia que não estaria presente quando Ele retornasse, porque assim fora informado. Estas palavras de Jesus para Pedro significaram que, com a sua morte, Pedro iria glorificar a Deus e santificar o seu espírito. Mas, Jesus disse a Pedro algo ainda mais notável! Pedro, tendo recebido a notícia da própria morte, entristeceu.

Então João, seu amigo e discípulo de Jesus, perguntou ao Senhor: "Bem, o que acontece com ele? O que tem ele?" Ao que Jesus respondeu: "Eu decidirei se ele viverá ou não até o meu retorno". Esta afirmação de Jesus demonstrou Sua divindade e poder para definir e inferir o destino da História humana.

PAROUSIA-THE RETURN-OF-JESUS

Os fiéis da Igreja primitiva acreditavam que Jesus iria retornar naquela época, e seus corações estavam cheios de expectativa e alegria. Quando lemos as Epístolas, que são as cartas ou lições dos apóstolos dirigidas às primeiras comunidades Cristãs, também sentimos uma certa expectativa. Como quando o apóstolo Paulo disse: "Nem todos dormiremos, porque logo nós todos seremos transformados. A trombeta soará e os mortos ressuscitarão incorruptíveis e seremos transformados".

Tessalonicenses nos dá mais certeza: "Irmãos, não queremos que ignoreis coisa alguma a respeito dos mortos, para que não vos entristeçais como os outros homens que não têm esperança. Se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, cremos também que Deus levará com Jesus os que Nele morreram. Por ocasião da vinda do Senhor, nós que estamos vivos não precederemos os mortos.

Quando for dado o sinal, à voz do arcanjo e ao som da trombeta de Deus, o mesmo Senhor descerá do Céu e os que morreram em Cristo renascerão primeiro. Depois nós, os vivos, que estamos na Terra, seremos arrebatados juntamente com eles sobre as nuvens ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com Ele. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras".

Jesus também disse: "Creiam em Deus, creiam também em minha palavra. Na casa de meu Pai há muitas moradas, e se não fosse assim eu lhes teria dito. Vou preparar-lhes lugar, e quando eu for e lhes preparar lugar, voltarei e os levarei para mim, para que vocês estejam aonde eu estiver. Vocês conhecem o caminho para onde vou".

Desta forma, os primeiros Cristãos acreditavam que seria muito em breve. Eles tendiam a pensar que seria durante suas vidas. Mas Pedro alertou que não seria iminente: "Nos últimos dias, ainda virão os escarnecedores com os seus escárnios".

PARÚSIA-RETORNO-DE-JESUS

Os escarnecedores com os seus escárnios! Uma forma muito clara para enfatizar o que eles farão. Eles tentarão atacar a realidade da volta de Jesus Cristo e desfazer os Seus termos e promessas. Os escarnecedores atuais não utilizam nenhum argumento intelectual, mas somente o infantil-emocional. Não aparecem com nenhum argumento lógico, mas adotam a simples intimidação, como que a nossa crença Cristã é tola e para mentes fracas. Isso ainda funciona para alguns! Estes se sentirão intimidados pela chamada "elite intelectual" e irão negar o retorno de Cristo.

Assim é como os zombadores modernos e os céticos tentam desmistificar a Parúsia, chamando-a de "um mito". Agora, vejam o truque comum da intimidação por sarcasmo, escárnio ou zombaria: "Você não é um daqueles fundamentalistas, ou um daqueles leitores da Bíblia, não é? Você não é um daqueles anti-intelectuais que vai levar tudo ao pé da letra, não é?"

Este é o tipo de intimidação que afeta basicamente pessoas emocionalmente instáveis, que estão socialmente envolvidas em algum contexto adverso ou que não tenham uma identidade moral. Então, eles continuam dizendo: "Ah! Eventos cataclísmicos não acontecem, eles simplesmente não acontecem. Coisas como a grande intervenção Divina e o Julgamento Final, não acontecem desde que os nossos ancestrais dormiram!"

O silogismo acima, provém do termo usado no Novo Testamento para cemitério, e origina-se de uma palavra grega que significa "lugar para dormir", que era o nome dado para os cemitérios pelos Cristãos antigos. Assim, desde quando as primeiras pessoas morreram, e os patriarcas morreram, afirmam os escarnecedores, "tudo continua exatamente como era desde o princípio da Criação".

Este é o único argumento filosófico-intelectual dessa gente, é o argumento da uniformidade ou da imutabilidade. Esta é a filosofia do pecador. E o que veio a partir dela foi a teoria da evolução.

PARÚSIA-RETORNO-DE-JESUS

A teoria da evolução é baseada no atualismo, o estudo do passado em suas relações diretas com o presente, ou seja, a doutrina segundo a qual o mundo é regido por leis, o uniformitarianismo. Isto significa dizer que tudo se move inexoravelmente, exatamente no mesmo ritmo.

Não há Deus, não há mudança, não há julgamento, não há nada além e tudo fica exatamente como está. É a filosofia da constância que satanás inventou bem cedo, séculos atrás. A evolução é uniformizadora, assim como foram as idéias de Thomas Lyle, Darwin e Huxley.

Mas tudo isso veio de muito antes e foi bem relatado por Pedro: "Não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não retarda a Sua promessa ainda que alguns a tenham por tardia, mas Ele é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam senão que todos venham a arrepender-se.

Mas o dia do Senhor virá como o ladrão, de noite, e neste dia os Céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a Terra e as obras que nela há, se queimarão. Mas nós, segundo a Sua promessa, aguardaremos novos Céus e nova Terra, em que habita a justiça. Por isso, aguardando estas coisas, procurai ser imaculados e irrepreensíveis.

Portanto, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que, pelo engano dos homens abomináveis, sejais juntamente execrados e descaiais da vossa firmeza. Antes, crescei na Graça e conhecimento do Nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A Ele seja dada a Glória, agora, assim como no dia da vinda da eternidade".

PAROUSIA-THE RETURN-OF-JESUS

Atualmente, o "engano dos homens abomináveis" citado por Pedro, está pregando que a Parúsia é impossível, que Jesus nunca retornará, nunca haverá o julgamento cataclísmico, nunca haverá a intervenção de Deus, que não existem quaisquer catástrofes, que não há nenhum milagre e tudo é apenas um processo natural, a continuidade.

Eles negam a Criação em seis dias, ou milênios conforme o tempo de Deus, embora a Bíblia o afirme. Eles negam que o Sol se deteve, o que significa que a rotação da Terra parou, como relatado em Josué. Eles negam o relato em Reis, no qual a sombra do relógio de Sol moveu-se para trás. Eles negam que as águas do Mar Vermelho se separaram. Eles negam que Deus já entrou em cena para o Juízo Final.

Quanto mais o Senhor retarda Seu julgamento, mais seguros os escarnecedores se sentem na sua visão da história, e dizem: "O mundo é muito estável, um sistema fechado regido por leis fixas". Eles estão também dizendo: "Não acredito que as palavras das Escrituras sejam confiáveis". Os ateus se apoiam sofregamente nesta falsa confiança, na esperança de praticarem seus desvios morais sem medo.

Eles olham para o seu pequeno pedaço de tempo e tiram conclusões sobre toda a História da humanidade. De alguns anos imutáveis ​​eles concluem que nunca houve mudanças. É uma auto-ilusão e pequenos jogos mentais em prol da paixão carnal. A negação da Verdade das Escrituras e a teoria da evolução são ferramentas do mal, para acomodar a imoralidade dos pecadores que não virão a Deus. Mas isso será devastador para eles!

Se satanás pode levar as pessoas a acreditarem na evolução, pode também cortá-las do caminho do bem. E esta é a verdadeira razão para acreditarem no ateísmo, na evolução ou na teologia liberal, ou seja, tentar eliminar por puro medo e covardia a realidade da prestação de contas pelo julgamento de Deus.

As pessoas de má fé precisam negar que Deus julgará o pecado, pois pretendem libertar-se para pecar ao máximo. Eles querem ignorar a lei inexorável escrita em Romanos: "A ira de Deus se revela do Céu contra toda injustiça".

PAROUSIA-THE RETURN-OF-JESUS

Mas não se iludam em nenhum momento, pois essas pessoas desfilando como intelectuais não são intelectuais, são anões morais. Isto mostra-se mais claramente nos teoristas da evolução. Um evolucionista ​​e negador da Criação Divina, da intervenção e do julgamento de Deus, foi Aldous Huxley, irmão de Julian e neto de Thomas Huxley.

Aldous Huxley, em seu ensaio, "Confissões de um Ateu Professo", explica a sua razão para rejeitar a Deus: "Eu tinha motivos para não querer que o mundo tivesse significado, e consequentemente assumia que não tinha nenhum. Para mim, e sem dúvida para a maior parte dos meus contemporâneos, a filosofia do sem significado era essencialmente um instrumento de liberação.

A liberação que queríamos era a de um certo sistema de moralidade. Nós tínhamos objeções em relação à moralidade, porque interferia com a nossa liberdade sexual. Para mim, a filosofia da insignificância foi, essencialmente, um instrumento de libertação. O que eu desejava era simultaneamente a libertação de um determinado sistema político, econômico e uma libertação de um determinado sistema de moralidade".

Desta forma, podemos constatar que os evolucionistas e seus seguidores assumiram que não carregam nenhum senso de moralidade, e são capazes, sem qualquer dificuldade, de encontrar quaisquer razões espúrias para satisfazer suas suposições ateístas e a própria degradação pessoal. O indivíduo que não encontra nenhum sentido no mundo nunca compreenderá a dimensão da metafísica pura!

Ele só estará preocupado em provar que não há nenhuma razão válida para que, pessoalmente, não deva fazer exatamente o quer fazer, ou seja, ser um depravado social. A evolução não é filha da ciência e sim da libertação sexual. Não foi elaborada por pessoas com os reais valores morais, éticos e intelectuais, mas desenvolvida pelos que buscavam a falta de significado para a cultura e a moralidade.

Foi implementada por aqueles que perseguiam o comportamento indigno, sem julgamento, sem nenhuma responsabilidade e sem a presença de Deus, para que pudessem viver do jeito que eles queriam viver. A teoria da evolução baseou-se numa proposição pessoal, originada pela falta de "evolução" moral de seus compactuadores, e nunca apresentou uma abordagem científica ou intelectual.

JESUS CRISTO NÃO ERA JUDEU


1 comentários:

Anonymous said...

Os humanos desconfiados vão continuar em guerra. A felicidade será ludibriada pela alegria. A vida no planeta vai continuar pobre, oprimida e doente. A chave da felicidade continuará sendo a santidade. A esperança, a exclusivo critério dos Céus, é uma luz de total não beligerância entre os humanos. O desfecho final quando Deus será tudo em todos e em todas as coisas está em marcha nestes últimos tempos. O secularismo continuará inconsciente, arrogante , prepotente e seduzido pelas tentações de poder e gozo. Naquele tremendo e glorioso dia não perguntaremos mais nada!...:)

Post a Comment