25 January 2014

A CRISTANDADE AMEAÇADA - CHRISTIANITY UNDER THREAT

CRISTANDADE-AMEAÇADA

A América tem uma progenitora responsável pelo seu surgimento. A Inglaterra foi confirmada como a genitora da "Nova Babilônia" pelos profetas Daniel e Ezequiel e, entre seus filhotes, estão os Estados Unidos, o Canadá, a Austrália e a Nova Zelândia, entre outros países. O símbolo nacional da Inglaterra é um leão com asas de águia, e o dos Estados Unidos é uma águia de asas abertas.

A simbologia do leão da Inglaterra é interessante sob o ponto de vista escatológico, já que Jesus Cristo foi assim retratado no Apocalipse 5.5: "Não chores, eis aqui o Leão da tribo de Judá, a raiz de David, que venceu para abrir o livro e desatar os seus sete selos".

O termo Leão de Judá é uma referência a Jesus Cristo, que é o herdeiro do trono de David. Representa a realeza de Deus e Seu direito divino de governar. Mas a teologia britânica afirma que o trono de David pertence agora ao trono da Inglaterra. Em outras palavras, eles afirmam que assumiram o trono do rei David, assim como o direito de governar o mundo.

Portanto, graças à idiossincrasia inglesa, o trono da Inglaterra se tornou o do anticristo, pois usurpou o real direito sucessório e pretendeu igualar-se ao seu verdadeiro dono, Jesus Cristo. Desta forma, o símbolo do leão revelado pelo profeta Daniel significa muito mais do que podemos perceber.

CHRISTIANITY-UNDER-THREAT

A interpretação atualizada da profecia desvenda e confirma que a Inglaterra estava destinada a dar à luz uma nação com vários portos, e que esta comportaria o maior sistema econômico jamais visto sobre a face da Terra. A nação americana é a "Nova Babilônia", o país dos povos misturados para o qual todos iriam convergir e a muitos iria corromper.

Esta nação foi destinada a atuar como um protetorado de Israel no Oriente Médio até quase o final dos tempos e, segundo as profecias, voltar-se-á contra a nação israelense para traí-la e invadi-la na tentativa de usurpar o trono já reservado para Jesus Cristo.

O papel dos EUA na profecia é o de rebelar-se contra Deus, transformando-se na pior das nações da Terra. Hussein Obama, o atual "rei" da Nova Babilônia, será o líder político das forças do anticristo que governará nos últimos dias, pouco antes de sua morte e destruição.

Obama arruinará a outrora herança Cristã da nação americana, aprisionará e assassinará Cristãos e judeus em centros de detenção e campos de extermínio. O resultado final será comparável ao perpetrado pela revolução comunista na Rússia ou pelos nazistas durante o holocausto, de acordo com as interpretações das profecias.

CHRISTIANITY-UNDER-THREAT

Os EUA estão se tornando a sede da religião do anticristo no mundo e o centro de toda a atividade "religiosa" oculta implementada pelos Iluminati e lojas maçônicas, ou seja, o satanismo. Em outras palavras, pouco antes da sua destruição final, esta nação será dominada por seitas ocultistas e professará o islamismo como a religião oficial.

Hussein Obama pretende implementar o islamismo e a sharia na sociedade americana, colocando a população Cristã em grande perigo. Muitos não vão sequer falar sobre o fato por medo do controle e vigilância da NSA, a Agência de Segurança Nacional. Mas o Cristianismo e o islamismo nunca poderão coexistir e um deles deverá ser relegado às sombras.

O Apocalipse 13:18 nos ensina: "Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule o número da besta, pois é número de homem. Esse número é seiscentos e sessenta e seis". Este número tanto pode representar um inimigo violento como um terrível enganador ou assassino de Cristãos, mas sua etnia e poder são humanos.

Não é difícil associar estas palavras proféticas com o mentor do islã, pois o mais notório e imperdoável pecado entre os seguidores de Maomé ocorre quando um muçulmano confessa que Jesus é o Filho de Deus ou até mesmo ora em nome de Jesus. É um pecado pior do que o estupro de crianças ou o assassinato em massa a sangue frio.

CRISTANDADE-AMEAÇADA

Se considerarmos a hermenêutica etnográfica das profecias, veremos que se referem ao Oriente Médio, especificamente ao Iraque, Irã, Síria, Arábia Saudita e Líbano, assim como outras nações predominantemente islâmicas. Elas são referenciadas no Apocalipse como a sede das numerosas e sucessivas feras e reinos malignos.

Na linguagem profética, o leão de Daniel, o urso, o leopardo e os quatro reinos ou impérios referem-se à Babilônia e ao império Medo-Persa. Atualmente são representados pelo Iraque (Babilônia, leão), o Irã (Medo-Persa, urso), Síria e Líbano (Assíria, leopardo). Atualmente todas as nações islâmicas fazem parte do profetizado quarto reino, que já se instalou no mundo e carrega a marca da besta. O símbolo que retrata o número 666 no Codex do Vaticano é idêntico à escrita da expressão em árabe "bismillah", que significa "em nome de allah".

Daniel 7:23: "O quarto animal é um quarto reino que aparecerá na Terra. Será diferente de todos os outros reinos e devorará a Terra inteira, despedaçando-a e pisoteando-a. Os dez chifres são dez reis que sairão desse reino. Depois deles um outro rei se levantará, e será diferente dos primeiros reis. Ele falará contra o Altíssimo, oprimirá os Seus Santos e tentará mudar os tempos e as leis. Os Santos serão entregues nas mãos dele por um tempo, tempos e meio tempo.

Mas o tribunal o julgará, e o seu poder lhe será tirado e totalmente destruído para sempre. Então a soberania, o poder e a grandeza dos reinos que há debaixo de todo o Céu serão entregues nas mãos dos Santos, o povo do Altíssimo. O Reino Dele será um Reino Eterno, e todos os governantes O adorarão e Lhe obedecerão. Esse é o fim da visão. Eu, Daniel, fiquei aterrorizado por causa dos meus pensamentos e meu rosto empalideceu, mas guardei essas coisas comigo".

CRISTANDADE-AMEAÇADA

O crescimento atual do islamismo não se faz pela conversão de novos membros, mas por uma grande taxa de nascimento de novos adeptos. Ninguém em sã consciência adotaria esta religião estranha e violenta! A Europa está sendo dominada pelo islã porque os europeus não estão conseguindo manter o crescimento estável da população nativa que, desta forma, está sendo preenchido pela alta taxa de natalidade dos muçulmanos, cinco vezes maior que a média nacional.

O plano de conquista do islã baseia-se em fomentar a emigração em massa de muçulmanos e casá-los com as mulheres nativas dos países-alvo e, se possível Cristãs. Depois de procriarem de forma desmedida devem infiltrar-se nas Igrejas para requerer o divórcio, repetindo o procedimento indefinidamente. A segunda parte do plano consiste na construção de milhares de mesquitas espalhadas pelo mundo. Na América o primeiro alvo foi o Canadá, porque era muito mais fácil impor o islamismo em um Estado laico do que em um Cristão, como a Europa sem Fé demonstrou. Atualmente já ocuparam totalmente os EUA adotando esta mesma estratégia.

Desta forma, contaminando a sociedade com as suas leis e ocupando física e gradativamente as nações, o vácuo espiritual já existente vai sendo preenchido pelo fundamentalismo islâmico e a lei da sharia, praticados por seu fundador e profeta assim como pelos terroristas de hoje. Maomé foi capaz de levantar um exército de homens atraídos por um deus que sancionou o estupro, a pilhagem e a escravidão sexual de mulheres e crianças como despojos da jihad.

Longe de ser moribundo, o islamismo é uma religião militante e proselitista. Ele já se espalhou por toda a África, Europa e América. Quando não mais houver resistência do Cristianismo e seus adeptos, ainda protegidos pelos braços fortes da ciência e cultura ocidentais, a civilização moderna ruirá e será substituída, assim como a civilização da Roma Antiga foi destruída.

CRISTANDADE-AMEAÇADA

A vida e a crença em Jesus Cristo nos ensinaram como viver em paz e amar nossos semelhantes na Terra, enquanto que o Reino de Deus nos revela e direciona à meta final da nossa curta vida terrena, ou seja, estar junto a Nosso Senhor Jesus e aos nossos entes queridos na eternidade ou no além-mundo, se preferirem. Esta Fé Cristã também trata de trazer a "boa nova" para os outros povos e nações da Terra.

Mas os tentáculos do islã já invadiram a América e estão prestes a conquistar o mundo, isto é, o resto do mundo não-islâmico, pois serão recompensados no "céu islâmico" pelos seus feitos terrenos com um bando de virgens e rios de vinho. Satanás já ganhou o controle dos reinos físicos da Terra desde a queda de Adão, e a conquista destes reinos terreno-satânicos é o objetivo final do islã.

A violência e injustiça sistêmicas, facetas endêmicas da cultura islâmica,  já afetaram e marcaram toda a população das nações da Terra. Sabemos de antemão como serão as nossas vidas, as vidas dos nossos filhos e netos, assim como  nossas relações sociais e morais se aceitarmos o domínio e o totalitarismo do islã na sociedade.

É fato que a Inglaterra deu à luz a América e carregou-a desde então nos braços dos financistas internacionais, governantes ocultos e grupos controladores do destino das nações. Desde o século 19, todo o aparato político e financeiro dos EUA tem sido controlado e manipulado pelas famílias nobres da Inglaterra, atuando em conjunto com os seguintes grupos: Clivden, Grupo de Milner, Fabianist, Grupo de Cecil, Royal Institute of International Affairs, Council on Foreign Relations, Comissão Trilateral, Bilderburger, entre muitos outros.

Ao examinarmos as doutrinas e propósitos destes homens, encontramos um único governo mundial, um sistema econômico particular e uma única religião ocultista. Tudo isto é imposto para facilitar e abrir o mundo para a sua total pilhagem, assim como a derrocada final da civilização ocidental.

JESUS CRISTO NÃO ERA JUDEU

0 comentários:

Post a Comment