23 August 2012

(16) O CATECISMO DE SÃO PIO X - THE CATECHISM OF SAINT PIUS X


SANTO PAPA PIO X
(Cont.)


278) Qual é a oração vocal mais excelente?
A oração vocal mais excelente é aquela que o próprio Jesus Cristo nos ensinou, isto é, o Pai-Nosso.

279) Por que é o Pai-Nosso a oração mais excelente?
O Pai-Nosso é a oração mais excelente porque foi o próprio Jesus Cristo que a compôs e a ensinou, porque contém claramente, em poucas palavras, tudo o que podemos esperar de Deus; e porque é a regra e o modelo de todas as outras orações.

280) É também o Pai-Nosso a oração mais eficaz?
O Pai-Nosso é também a oração mais eficaz, porque é a mais agradável a Deus, porque é feita com as mesmas palavras que nos ditou o seu Divino Filho.

281) Por que se chama o Pai-Nosso oração dominical?
Chama-se o Pai-Nosso oração dominical, que quer dizer oração do Senhor, precisamente porque a ensinou Jesus Cristo por sua própria boca.

282) Quantas petições há no Pai-Nosso?
No Pai-Nosso há sete petições precedidas de um preâmbulo.

283) Rezai o Pai-Nosso.
Pai-Nosso, que estais no Céu:
1ª) Santificado seja o vosso nome.
2ª) Venha a nós o vosso reino.
3ª) Seja feita a vossa vontade, assim na terra como no Céu.
4ª) O pão nosso de cada dia nos dai hoje.
5ª) Perdoai-nos as nossas dívidas assim como nós perdoamos aos nossos devedores.
6ª) E não nos deixeis, cair em tentação.
7ª) Mas livrai-nos do mal. Amém

284) Porque, invocando a Deus no princípio da oração dominical, O chamamos nosso Pai?
No princípio da oração dominical chamamos a Deus nosso Pai para despertar a nossa confiança na sua infinita bondade, visto sermos seus filhos.

285) Por que podemos nós dizer que somos filhos de Deus?
Somos filhos de Deus:
- Porque Ele nos criou à sua imagem e nos conserva e governa com a sua providência;
-Porque, por especial benevolência, Ele nos adotou no Batismo como irmãos de Jesus Cristo e co-herdeiros, juntamente com Ele, da eterna glória.

286) Por que chamamos a Deus Pai nosso, e não Pai meu?
Chamamos a Deus Pai nosso e não Pai meu, porque todos somos seus filhos, e
portanto devemos considerar-nos e amar-nos todos como irmãos, e orar uns pelos outros.

287) Estando Deus em toda a parte, por que é que Lhe dizemos: que estais no Céu?
Deus está em toda a parte; mas dizemos: Pai Nosso que estais no Céu, para elevar os nossos corações ao Céu, onde Deus se manifesta na glória aos seus filhos.

288) Que pedimos a Deus na primeira petição: santificado seja o Vosso nome?
Na primeira petição: santificado seja o Vosso nome, pedimos que Deus seja conhecido, amado, honrado e servido por todos os homens, e por nós em particular.

289) Que temos em vista, ao pedir que Deus seja conhecido, amado e servido por todos os homens?
Temos em vista pedir que os infiéis cheguem ao conhecimento do verdadeiro Deus, que os hereges reconheçam os seus erros, que os cismáticos voltem à unidade da Igreja, que os pecadores se corrijam e que os justos sejam perseverantes no bem.

290) Por que em primeiro lugar pedimos que seja santificado o nome de Deus?
Em primeiro lugar pedimos que seja santificado o nome de Deus, porque devemos prezar mais a glória de Deus do que todos os nossos bens e vantagens.

291) De que maneira podemos nós promover a glória de Deus?
Podemos promover a glória de Deus com a oração, o bom exemplo e dirigindo para Ele todos os nossos pensamentos, afetos e ações.

292) Que entendemos por reino de Deus?
Por reino de Deus entendemos um tríplice reino espiritual, a saber: o reino de Deus em nós, ou o reino da graça; o reino de Deus na Terra, isto é, a Santa Igreja Católica; e o reino de Deus nos Céus, ou o Paraíso.

293) Que pedimos com as palavras: venha a nós o Vosso reino, com relação à graça?
Com relação à graça, pedimos que Deus reine em nós com a Sua graça santificante, pela qual Ele se compraz em residir em nós como um rei em seu palácio, e que nos mantenha unidos a si pelas virtudes da fé, da esperança e da caridade, pelas quais reina sobre ti nossa inteligência, sobre o nosso coração e sobre a nossa vontade.

294) Que pedimos com as palavras venha a nós o Vosso reino, com relação à Igreja?
Com relação à Igreja, pedimos que Ela se dilate cada vez mais, e se propague por todo o mundo para salvação dos homens.

295) Que pedimos com as palavras venha a nós o Vosso reino, com relação à glória?
Com relação à glória, pedimos que possamos um dia ser admitidos no Santo Paraíso, para o qual fomos criados e onde seremos plenamente felizes.

296) Que pedimos na terceira petição: seja feita a Vossa vontade, assim na  Terra como no Céu?
Na terceira petição: seja feita a Vossa vontade, assim na Terra como no Céu, pedimos a graça de fazer em todas as coisas a vontade de Deus, obedecendo aos seus santos Mandamentos tão prontamente como os Anjos e os Santos Lhe obedecem no Céu. Pedimos, além disso, a graça de corresponder às inspirações Divinas e de viver resignados à vontade de Deus, quando Ele nos manda tribulações.

297) É para nós necessário cumprir a vontade de Deus?
É tão necessário cumprir a vontade de Deus, como nos é necessário conseguir a salvação eterna, porque Jesus Cristo disse que só entrará no reino dos céus quem tiver feito a vontade de Seu Pai.

298) De que maneira podemos conhecer qual a Vontade de Deus a nosso respeito?
A Vontade de Deus nos é manifestada pelos Mandamentos de sua Lei e pelos preceitos de sua Santa Igreja. Nossos superiores espirituais, postos por Deus para guiar-nos no caminho da Salvação, nos orientam a fim de que conheçamos os desígnios particulares da Providência a nosso respeito, desígnios que se podem manifestar em divinas inspirações ou nas circunstâncias em que o Senhor nos tenha colocado.

299) Devemos sempre reconhecer a vontade de Deus nas prosperidades ou adversidades da vida?
Tanto nas prosperidades como nas adversidades da vida presente, devemos reconhecer sempre a vontade de Deus, o qual tudo dispõe ou permite para nosso bem.

300) Quer dizer que Deus nos revela sua Vontade pelos sinais dos tempos?
Não. A revelação Divina encerrou-se com a morte do último Apóstolo, de maneira que não há mais Revelação pública necessária para a salvação. A afirmação de que devemos ver em todas as coisas a Vontade de Deus, diz apenas que todas as coisas estão sujeitas à Santíssima Vontade de Deus, de maneira que mesmo o mal não acontece sem uma permissão de Deus, que sabe tirar o bem do mal, e por isso o permite. E como Deus tem sobre os homens uma amorosa Providência, devemos ver em todos os acontecimentos, bons ou maus, um desígnio de Deus que visa nossa salvação eterna.


(Continua)

0 comentários:

Post a Comment