10 August 2012

NOSSA SENHORA DE LA SALETTE - OUR LADY OF LA SALETTE



nossa-senhora-la-salette

Os dois pastorezinhos, Maximin Giraud e Mélanie Calvat, tiveram uma visão da Virgem Maria numa montanha perto de La Salette, França, em 19 de setembro de 1845. As crianças relataram: "Ela estava sentada sobre uma pedra, e a Belle Dame estava triste e chorando, com seu rosto descansando em suas mãos, então a Bela Senhora pôs-se de pé, e disse. Vinde, meus filhos, não tenhais medo, aqui estou para vos contar uma grande novidade. Se meu povo não se quer submeter, serei forçada a deixar cair o braço de meu Filho. É tão forte e tão pesado que não o posso mais. Há quanto tempo sofro por vós."

nossa-senhora-la-salette

Nossa Senhora queixou-se do trabalho manual aos domingos, dia santificado ao Senhor, e da blasfêmia dos homens. Em seguida revelou a Maximin um curto segredo, que nunca deveria revelar. À Mélanie revelou outro bem mais longo, que poderia tornar público a partir de 1858. No local onde Seus pés tocaram jorrou uma nascente, que nunca mais secou. O culto a Nossa Senhora da Salette foi autorizado em 1851, cinco anos depois da aparição, mas o conteúdo da mensagem de La Salette passou a ser motivo de grandes problemas para o resto da vida das duas crianças escolhidas, e motivo de graves divergências no clero.

nossa-senhora-la-salette

Em 1852, o Papa Pio IX, depois de aprovar a aparição, manifestou o desejo de conhecer os dois segredos. Os videntes, agora já alfabetizados, escreveram o conteúdo dos dois segredos, na presença de testemunhas eclesiásticas, os quais em seguida foram formalmente remetidos ao Santo Padre. Diante dos dois padres franceses que os entregaram fechados e selados, o rosto do Sumo Pontífice se alterou e exclamou: Oh, isto é muito sério! Prometeu que meditaria naquela noite sobre tão importante mensagem.

Na manhã seguinte, os padres receberam a seguinte nota: "O Papa ficou convencido da origem celeste dos segredos. Ele os terá em conta nas ações que deverá empreender". Ficava assim reconhecido pelo próprio Sumo Pontífice a sobrenaturalidade da aparição e da mensagem. Em outra ocasião, Pio IX diria abertamente: "O que há nos segredos de La Salette? Bem, são as palavras do Evangelho. Se não fizerdes penitência, todos perecereis".

No entanto, o Segredo de Mélanie, que contém as mais longas e graves profecias só foi publicado quase trinta anos depois, em 1879,  por intermédio de Dom Zola, Bispo de Lecce. Essa publicação deu início ao calvário de Mélanie, através de incompreensões, perseguições gratuitas e até mesmo o exílio, como uma espécie de represália por parte dos bispos franceses, que pretendiam colocar a mensagem do segredo no Index, isto é, a relação de livros proibidos pela Igreja. "Mas todos os esforços para obterem sua proibição formal foram em vão", escreveria dom Zola, em 1896.

Em pouco tempo, com a bênção e o encorajamento do Papa, de vários Bispos e teólogos, e com edições sucessivas em várias dioceses, o segredo de La Salette se espalha pelo mundo inteiro. A partir de então, a aceitação da origem sobrenatural dessa mensagem dada pela Santíssima Virgem passou a causar uma grande cisão no seio do clero, que permanece até os dias de hoje.

nossa-senhora-la-salette

É de grande importância ressaltar que o Papa João Paulo II considerava a mensagem de La Salette, "O coração das profecias de Maria".

Teólogos e pesquisadores dos milagres de Nossa Senhora interpretam a mensagem dada em La Salette como uma profecia dirigida não só à França, mas à Igreja do mundo inteiro. Para esses estudiosos, a mensagem detalha minuciosamente acontecimentos mundiais futuros, de grande importância para nossos tempos.

A apostasia que estamos vivendo foi totalmente prognosticada em La Salette.

"Os sacerdotes, ministros de meu Filho, pela vida ruim que levam, pelas suas irreverências e falta de piedade ao celebrarem os santos mistérios, pelo amor ao dinheiro, às honrarias e prazeres, transformaram-se em poços de impureza. Muitos abandonaram a fé, e grande será o número de padres e religiosos que apostatarão da religião verdadeira,  e entre eles haverá até bispos. Será o tempo das trevas".

"Ai dos sacerdotes e das pessoas consagradas a Deus, que pelas suas infidelidades e má vida estão crucificando novamente ao meu Filho! Os pecados das pessoas consagradas clamam ao céu, pedindo vingança, e a vingança agora está às portas, porque não se encontra mais ninguém para implorar misericórdia e perdão pelo povo, não há mais almas generosas, não há mais ninguém digno de oferecer um sacrifício sem mancha ao Deus Eterno em favor do mundo".

"Deus vai castigar de maneira sem precedentes. Ai dos habitantes da terra! Deus vai esgotar sobre eles sua cólera e ninguém conseguirá escapar de tantos males juntos. Os chefes, os guias do povo de Deus, negligenciaram a oração e a penitência, e o demônio obscureceu suas inteligências. Tornaram-se assim aquelas estrelas errantes, que a velha serpente arrastará com sua cauda para fazê-los perecer.  Deus permitirá que a antiga serpente ponha divisões entre os que regem as sociedades e as famílias. Sofrer-se-ão angústias físicas e morais. Deus abandonará a humanidade a si própria, e enviará um castigo após outro. A sociedade está às vésperas das mais terríveis calamidades e dos maiores acontecimentos. Que se prepare para ser governada com vara de ferro e beber o cálice da ira de Deus".

"O Vigário de meu Filho terá de sofrer muito, porque por um tempo a Igreja será entregue a grandes perseguições. Será o tempo de trevas. Tendo-se esquecido de Deus, os indivíduos quererão viver exclusivamente para si mesmos, e ser superiores aos de sua mesma classe. Suprimirão os direitos civis e eclesiásticos, toda ordem e justiça serão pisoteadas. Ver-se-ão apenas crimes, ódios, invejas, mentiras e desavenças. Desaparecerá o amor à pátria e à família. Todos os governos civis terão um mesmo objetivo. Abolir de uma vez por todas os princípios religiosos, para assim deixar aberto o caminho ao materialismo, ao ateísmo, ao espiritualismo e a toda espécie de vícios".

Outra passagem terrível da mensagem de La Salette, igualmente prevista por Jesus, pelos profetas e muitos Santos da Igreja, refere-se à chegada do Anticristo.

"Ai dos príncipes da Igreja que se preocuparam apenas em amontoar riqueza sobre riqueza, em salvaguardar sua autoridade e dominar com orgulho. Tremei, ó terra, e vós que fazeis profissão de servir Jesus Cristo, e que dentro de vós adorais a vós mesmos. Tremei, porque Deus vai entregar-vos ao seu inimigo, pois os lugares santos caíram na corrupção; muitos conventos já não são casas de Deus, e sim pastos de Asmodeu ( demônio da luxúria e das uniões pecaminosas) e dos seus".

"O mal combaterá o verdadeiro Cristo, o único Salvador do mundo. Derramará muito sangue e pretenderá aniquilar o culto de Deus, para ser considerado ele mesmo como Deus. A terra será castigada com todo tipo de calamidades, além da peste e da fome que serão gerais. Uma série de guerras terá lugar antes da última, na qual combaterão os dez reis aliados do anticristo, que serão os únicos governantes do mundo. Antes disto, porém, haverá uma falsa paz. As pessoas só pensarão em se divertir".

"Nascerá o anticristo de uma religiosa hebreia, de uma falsa virgem, que terá comunicação com a antiga serpente, a mestra da impureza. Será o demônio encarnado. Seu pai será um bispo. Será uma encarnação do demônio".

"Os demônios do ar farão grandes prodígios na terra e nos ares, e os homens se perverterão mais e mais. Por isso, o Papa deve acautelar-se contra os fazedores de milagres, porque chegou o tempo em que se hão de operar os mais estupendos prodígios na terra e no ar. Haverá em todos os lugares portentos extraordinários, porque a fé verdadeira se apagou, e uma falsa luz ilumina o mundo. As estações serão alteradas, a terra só produzirá maus frutos, os astros sairão de suas órbitas, a lua só refletirá uma luz avermelhada. A água e o fogo imprimirão ao globo terrestre movimentos convulsivos, e horríveis terremotos devorarão montanhas e cidades".

A Virgem afirma que "Rome perdra la foi et deviendra le siège de l´Antichrist", ou seja: "Roma perderá a fé e se tornará a sede do anticristo".

"Ai dos habitantes da Terra! Virão guerras sangrentas e fome, pestes e enfermidades contagiosas. Cairá uma espantosa saraivada de animais. A tempestade sacudirá cidades, os terremotos engolirão países. Ouvir-se-ão vozes no ar. Os homens baterão com a cabeça nas paredes, pedindo a morte, porém a morte será o seu tormento. Correrá sangue por toda parte. Quem poderá vencer, se Deus não encurtar o tempo da prova? O sangue, as lágrimas e as orações dos justos aplacarão a Deus. A Roma pagã desaparecerá. O fogo do céu consumirá três cidades".

"O universo inteiro será presa de terror e muitos se deixarão enganar por não terem adorado o verdadeiro Cristo, que vivia entre eles. Chegou o tempo, o sol escurece, só a fé viverá. Eis o tempo. O abismo começa a abrir-se. Eis o rei dos reis das trevas, eis a besta que se proclama o salvador do mundo e seus súditos. Elevar-se-á soberbo pelos ares, para subir ao céu. Mas será precipitado pelo sopro de São Miguel Arcanjo; cairá, e a Terra, que há três dias estava em contínuas evoluções, abrirá suas entranhas ardentes, e ele será precipitado com seus seguidores, nos abismos eternos do inferno. Então a água e o fogo purificarão a terra e consumirão todas as obras do orgulho humano e tudo será renovado".

"Far-se-á então a paz, a reconciliação de Deus com os homens. Cristo será servido, adorado e glorificado, a caridade renascerá em toda parte. Os novos reis serão o braço direito da Igreja, que será forte, humilde, piedosa e imitadora das virtudes de Cristo. O Evangelho será pregado por toda parte e a humanidade crescerá na fé, porque haverá unidade entre os obreiros de Jesus Cristo, e todos viverão no temor de Deus".

"Dirijo um urgente pedido à Terra. Chamo os verdadeiros discípulos do Deus vivo. Chamo os meus filhos, os meus verdadeiros fiéis, os que se entregaram a mim. Chamo enfim os apóstolos dos últimos tempos, os fiéis discípulos de Jesus Cristo que viveram no desprezo do mundo e de si próprios, na pobreza e na humildade, no silêncio, na oração e na mortificação, na castidade e na união com Deus, sofrendo ignorados pelo mundo. Já é hora de saírem e encherem de luz a terra. Vão e apresentem-se como meus filhos queridos. Estou com vocês e em vocês, desde que a fé seja a luz a iluminá-los nestes dias de infortúnio. Que o zelo os torne como que famintos da glória e da honra de Jesus Cristo. Combatam, filhos da luz, porque chegou o tempo de todos os tempos, o fim de todos os fins".

A mensagem que deveria ser espalhada, foi sistematicamente abafada.

Devido à sua denúncia aos maus pastores da Igreja, aos "mercenários do templo", uma "denúncia materna", clara, implacável, sem véus ou diplomacia, fez muitos prelados sentirem-se atingidos, e jogarem pesado para silenciar a voz que os alertava sobre o perigo, tentando assim por todos os meios proibir a divulgação da mensagem "anticlerical" de Nossa Senhora.

A outra objeção era a sua conotação fortemente apocalíptica. A Virgem começava anunciando assombrosos castigos que se abateriam sobre a humanidade, devido à sua adiantada fase de abandono da verdadeira Fé e impiedade. Portanto, o segredo que deveria ser espalhado, atendendo ao pedido da Santíssima Virgem, "Façam conhecer isto a todo o meu povo", foi sistematicamente abafado e escondido.

Assim, La Salette, que estava destinada a ser "um sinal velado de nuvens  atravessadas por relâmpagos", acabou se convertendo num lugar convencional de romarias, de oração e penitência.

nossa-senhora-la-salette
Uma verdadeira guerra para impedir a divulgação da mensagem "anticlerical" de La Salette teve início com Dom Ginoulhiac, sucessor de Dom Bruillard na diocese de Grenoble.

Em 1854, através de um verdadeiro abuso de autoridade para livrar-se da incômoda vidente, e desatendendo ao favor solicitado pela vítima, desterraram-na para um convento de clausura em Darlington, na Inglaterra, com ameaça de excomunhão caso retornasse à diocese.

Ao regressar à França em 1860, Mélanie refugiou-se no carmelo de Marselha, e recebe a notícia de que dom Ginoulhiac, o Bispo que a mandara para o exílio, tinha enlouquecido e morrera num manicômio.

Dom Fava foi seu sucessor. Acalentando ambiciosos planos com relação ao recém-construído santuário, que desejava transformar em pólo de grandes romarias, mostrou-se um ferrenho inimigo da mensagem, que é justamente a alma da aparição.

O Bispo, ao tomar conhecimento de que o Papa Leão XIII desejava falar com a vidente para encorajá-la a fundar a "Ordem da Mãe de Deus" e que se destinaria aos "Apóstolos dos Últimos Tempos", pedida por Nossa Senhora, vai procurá-la em Altamura, onde a pobre vidente passara a viver. Temendo que a publicação do segredo viesse a prejudicar seus projetos, exerce forte pressão sobre Mélanie para que se silencie.

Estranhas ocorrências com prelados opositores da mensagem de La Salette.

Estranhamente, pouco tempo depois, Dom Fava é encontrado morto em seu quarto, estatelado no chão, nu, com os olhos esbugalhados e punhos crispados.

Dom Gilbert, Bispo de Amiens, que vociferara, "O segredo de La Salette não passa de uma trama antirreligiosa, feita de exageros e mentiras", foi igualmente encontrado morto, em 16 de agosto de 1889, no chão de seu quarto, e durante os funerais o féretro tombou do catafalco.

nossa-senhora-la-salette

O próprio arcebispo de Paris, Dom Georges Darboy, foi outro famigerado inimigo da mensagem de La Salette, que interrogou pessoalmente Maximin, coagindo-o para que lhe revelasse o segredo. Não obtendo o desejado, gritou-lhe: "As palavras da tua bela Senhora são cheias de estupidez, como estúpido deve ser o seu segredo". Ao que o vidente lhe replicou: "Ele é tão veraz e tão certo como vi a Bela Senhora, e em menos de três anos vossa excelência será fuzilado".

Admoestado em 1865 por Pio IX, por causa do seu aceso galicanismo (rebeldia ao Papa), anos depois, durante o Concílio Vaticano I, esse Arcebispo também se alinhou ao tristemente célebre monsenhor Dupanloup contra o Papa, desertando de Roma num protesto silencioso contra a iminente definição da infalibilidade Pontifícia. E com esta atitude, esquivaram-se também em sustentar a Fé de que Cristo esteve, está e sempre estará no leme de Sua Igreja, conforme Ele próprio prometera.

A declaração de infalibilidade papal não está embasada na onisciência do homem que ocupa o sublime e terrível cargo de Sumo Pontífice, mas na graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, cujo penhor prometido respalda o papel terreno de Seu Vigário na terra. É uma questão de Fé Católica.

nossa-senhora-la-salette

Continua sua jornada de desterro, amargura e solidão.

Um ano antes de sua morte, Mélanie escreve: "Os bispos que consideraram o segredo como dirigido a eles foram grandes inimigos desta mensagem de misericórdia, justamente como os sumo sacerdotes que condenaram à morte o divino Salvador. De fato, eles tinham razão para reagir, pois o segredo não fazia mais que refletir suas vidas desviadas".

Nutria sobre si mesma um modesto conceito, retratado nesta frase: "Nossa Senhora procurou no mundo inteiro, e como nada encontrou de mais baixo, viu-se obrigada e me escolher".

nossa-senhora-la-salette

A vida de Mélanie foi uma contínua jornada de desterro, amargura e solidão. Consta que recebeu os estigmas e morreu na noite de 14 para 15 de dezembro de 1904, com 72 anos de idade.  Mélanie faleceu em Altamura, província de Bari, Itália, sozinha num quarto, conforme tinha predito. Naquela noite os vizinhos ouviram um cântico de anjos que saía de seu apartamento.  

nossa-senhora-la-salette

Santo Aníbal de França, seu confessor e diretor espiritual, pronunciou ardoroso elogio fúnebre de sua santidade nas catedrais de Altamura e Messina. Preparou seu processo de beatificação, mas não pôde introduzi-lo, pois faleceu antes de concluí-lo.

São Pedro Julião Eymard, fundador dos sacramentinos, morreu estreitando contra o peito uma imagem da Nossa Senhora de La Salette.

nossa-senhora-la-salette


O Papa São Pio X perguntou ao bispo que presidiu os funerais de Mélanie: "E a nossa Santa?"


0 comentários:

Post a Comment