04 June 2014

BEBÊS PROJETADOS - BABIES BY DESIGN


BABIES-BY-DESIGN

Os transumanistas percebem o sacrifício dos bebês projetados (babies by design) como um objetivo a ser alcançado, mas não como uma aberração científica e assassinato legalizado. Afirmam que privar nossos descendentes da "melhoria genética" seria uma falta de humanidade. Assim, para satisfazer este "ato humanitário" e atender à demanda da sociedade, sacrificarão milhares de crianças, já nascidas ou não, para servir de repositórios de órgãos no caso de necessidade. Pretendem criar uma nova raça de pós-humanos, mais inteligentes ou aprimorados, que causará o extermínio das crianças sobressalentes, os doadores forçados. Todos serão condenados à pena de morte.

A vida humana inicia-se no momento da concepção. Isto significa que cada embrião ou feto eliminado, os inadequados como doadores, traduz-se no assassinato de um ser humano. Os avanços na área da genética originaram o conceito do bebê projetado e o infanticídio resultante desta prática perniciosa, porque as crianças são criadas exclusivamente para servir como doadores genéticos ou de órgãos para quem estiver disposto a pagar mais. Durante o início do processo de seleção, vários embriões são concebidos até que o adequado seja escolhido, sendo então os outros eliminados. As implicações sociais e morais resultantes desta prática superam os supostos benefícios.

BEBES-PROJETADOS

Na busca do melhor doador de células-tronco o embriologista avalia a genética de dezenas de pequenos seres humanos na fase embrionária. Aquele que atender às expectativas dos beneficiários será salvo e o restante descartado. Os fetos já desenvolvidos serão destinados à doação de órgãos ou células-tronco e, em seguida, descartados. Na Rússia, assim como na China, surgem relatos que mães de aluguel abortam a criança com seis ou nove meses de gestação para que as células-tronco sejam usadas ​​em tratamentos de beleza. Outras mantêm os bebês até o nascimento, quando seus órgãos são retirados e a criança descartada em qualquer lugar.

A utilização maldosa dos bebês projetados encabeçará a lista de ações desumanas perpetradas contra crianças neste século. A pesquisa das células-tronco trouxe à superfície os ceifadores da humanidade. Os médicos envolvidos dizem às mulheres que devem abortar pois o feto carrega defeitos congênitos, porém o feto é perfeitamente saudável. Os bebês recém-abortados são a melhor fonte de órgãos e células-tronco. Se por um lado a pesquisa com células-tronco pode salvar uma vida, também será responsável pela morte de milhões de crianças. Atualmente a demanda pelas células-tronco e órgãos dos fetos é responsável pelas mais terríveis atrocidades da história.

BEBES-PROJETADOS

Crianças já são criadas como a tábua de salvação para um irmão doente devido à compatibilidade genética. Tanto as células do sangue do cordão umbilical como a da medula óssea são necessárias para salvar um familiar. Outras crianças são concebidas para servirem como doadores de órgãos. Quando os transplantes de ossos ou as células da medula óssea são a única maneira de salvar um irmão, o doador terá que passar por um tratamento invasivo e às vezes fatal, ao ter seus ossos removidos ou a medula perfurada. A engenharia genética é uma espada de dois gumes que pode ser utilizada para matar ou salvar vidas.

O aprimoramento genético impactará a sociedade, pois originará medo e ódio irracionais contra os indivíduos diferentes. Os portadores dos "genes pobres" serão socialmente rejeitados. O incremento da era dos bebês projetados vai aumentar a discriminação com base em certas qualidades ou características. As crianças das famílias ricas receberão o aprimoramento genético e superarão as outras crianças. Os que não tiverem seus genes aprimorados estarão condenados. Além disso, o fato de que a maioria das sociedades é dominada pelo macho da espécie determinará o sexo da criança e levará à discriminação de gênero em todo o mundo.

BABIES-BY-DESIGN

Existe algo intrinsecamente errado com o ser humano, pois o nível de sofrimento é avassalador. Se seremos geneticamente modificados no futuro é mais uma curiosidade acadêmica irrelevante em face à tragédia que está acontecendo no mundo. A humanidade terá duas alternativas: "A evolução pode ser impulsionada pela megalomania de alguns numa corrida armamentista de desenvolvimento pós-humano, ou as forças da coletividade e o utilitarismo vão moldar uma população homogênea, obediente e subserviente a serviço da sobrevivência". Qualquer das opções, se levada ao extremo, seria desastrosa. A expectativa de que podemos moldar um futuro não passa de delírios da soberba humana, quando esquecemos que fomos criados por Deus.

1 comentários:

Anonymous said...

A sociedade assassina nossas crianças de várias maneiras e todos nós não damos a mínima! Neste mundo podre, a vida de um cachorro vale muito mais do que a de um bebê. Quando um animal é morto ou sacrificado, toda a mídia, pessoas e ONGS, logo começam a esbravejar, mas o extermínio em massa de crianças não merece uma linha de palavras ou preocupação.

Post a Comment