25 August 2012

(17) O CATECISMO DE SÃO PIO X - THE CATECHISM OF SAINT PIUS X


SANTO PAPA PIO X
(Cont.)


301) Que pedimos na quarta petição: o pão nosso de cada dia nos dai hoje?

Na quarta petição: o pão nosso de cada dia nos dai hoje, pedimos a Deus o que nos é necessário cada dia para a alma e para o corpo.

302) Que pedimos a Deus para a nossa alma?
Para a nossa alma pedimos a Deus o sustento da vida espiritual, isto é, pedimos ao Senhor que nos dê a Sua graça, da qual a todo o instante temos necessidade.

303) Como se sustenta a vida da nossa alma?
A vida da nossa alma sustenta-se especialmente com o alimento da Palavra Divina, e com o Santíssimo Sacramento do altar.

304) Que pedimos a Deus para o nosso corpo?
Para o nosso corpo pedimos o que é necessário para o sustento da vida temporal.

305) Por que dizemos: o pão nosso nos dai hoje, e não dizemos antes: dai-nos hoje o pão?
Dizemos: O pão nosso nos dai hoje, e não dizemos: dai-nos hoje o pão, para excluir todo o desejo aos bens alheios. Por isso pedimos ao Senhor que nos ajude nos ganhos justos e lícitos, a fim de granjearmos o sustento com o nosso trabalho, sem furtos nem fraudes.

306) Por que dizemos: o pão nos dai, e não: o pão me dai?
Dizemos: nos dai, e não: me dai, para nos lembrarmos de que, assim como os bens nos vêm de Deus, assim também se Ele no-los dá em abundância, é para que distribuamos o supérfluo pelos pobres.

307) Por que acrescentamos: de cada dia?
Acrescentamos de cada dia, porque devemos desejar o que nos é necessário para a vida, e não a fartura dos alimentos e dos bens da terra.

308) Que quer dizer mais a palavra hoje na quarta petição?
A palavra hoje quer dizer que não devemos estar demasiadamente preocupados com o futuro, mas pedir o que nos é necessário no momento.

309) Que pedimos na quinta petição: Perdoai-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores?
Na quinta petição: perdoai-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores, pedimos a Deus que perdoe os nossos pecados, como nós perdoamos aos que nos ofendem.

310) Por que nossos pecados são chamados de dívidas?
Nossos pecados são chamados de dívidas porque por causa deles devemos satisfazer a Divina Justiça, seja nesta vida, seja na outra.

311) Os que não perdoam ao próximo, podem esperar que Deus lhes perdoe?
Os que não perdoam ao próximo não têm razão alguma para esperar que Deus lhes perdoe, tanto mais que se condenam por si mesmos, dizendo a Deus que lhes perdoe, como eles perdoam ao próximo.

312) Que pedimos na sexta petição: e não nos deixeis cair em tentação?
Na sexta petição: e não nos deixeis cair em tentação, pedimos a Deus que nos livre das tentações, ou não permitindo que sejamos tentados, ou dando-nos graças para não sermos vencidos.

313) Que são as tentações?
As tentações são um incitamento ao pecado que nos vem do demônio, das pessoas más ou das nossas paixões.

314) É pecado ter tentações?
Não é pecado ter tentações, mas é pecado consenti-las, ou expor-se voluntariamente ao perigo de consentir.

315) Por que permite Deus que sejamos tentados?
Deus permite que sejamos tentados, para provar a nossa fidelidade, para fortalecer as nossas virtudes e para aumentar os nossos merecimentos.

316) Que devemos fazer para evitar as tentações?
Para evitar as tentações devemos fugir das ocasiões perigosas, guardar os sentidos, receber com frequência os Santos Sacramentos, fazer uso da oração, especialmente da devoção à Maria Santíssima, Senhora Nossa.

317) Que pedimos na sétima petição: mas livrai-nos do mal?
Na sétima petição: mas livrai-nos do mal, pedimos a Deus que nos livre dos males passados, presentes, futuros, e especialmente do sumo mal, que é o pecado, da condenação eterna, que é o seu castigo.

318) Por que dizemos: livrai-nos do mal, e não: dos males?
Dizemos: livrai-nos do mal, e não: dos males, porque não devemos desejar ser isentos de todos os males desta vida, mas só daqueles que são nocivos à nossa alma, e por isso pedimos a libertação do mal em geral, isto é, de tudo aquilo que Deus vê que para nós é mal.

319) Não é lícito pedir a Deus que nos livre de algum mal em particular, por exemplo, de uma doença?
Sim, é lícito pedir a libertação de algum mal em particular, mas sempre entregando-nos à vontade de Deus, que pode no entanto, ordenar aquela tribulação para proveito da nossa alma.

320) Para que nos servem as tribulações que Deus nos manda?
As tribulações que Deus nos envia nos são úteis para fazermos penitência das nossas culpas, para provar nossas virtudes, e sobretudo para levar-nos à imitação de Jesus Cristo, ao qual é justo que nos conformemos nos sofrimentos, se quisermos ter parte na sua glória.

321) Que quer dizer Amém no fim do Pai-Nosso?
Amém quer dizer: assim seja, assim desejo, assim peço ao Senhor e assim espero.

322) Para se alcançarem as graças pedidas no Pai-Nosso basta rezá-lo de qualquer maneira?
Para se alcançarem as graças pedidas no Pai-Nosso é necessário rezá-lo sem precipitação, com atenção e acompanhá-lo com o coração.

323) Quando devemos rezar o Pai-Nosso?
Devemos rezar o Pai-Nosso todos os dias, porque todos os dias temos necessidade do auxílio de Deus.

 
(Continua)



                                                                                                 



0 comentários:

Post a Comment