04 October 2013

O INFERNO, ESTÁ VINDO POR VOCÊ? - HELL, IS IT COMING FOR YOU?

INFERNO

A palavra latina "infernus" significa o que está abaixo ou nas regiões subterrâneas. Na mitologia grega, "hades" é um deus dos mortos que reina no mundo inferior. Na crença judaica, "sheol" é o local de tormento para os espíritos dos mortos.

Em 200 a.C., o termo "hades" foi substituido pela palavra "sheol" durante a tradução das Escrituras em hebraico para o grego antigo. Na mitologia nórdica, "hel" é uma deusa desfavorecida do submundo e também o local de punição dos criminosos. Do termo "hel" deriva a palavra anglo-saxônica "hell", inferno na língua portuguesa.

O Novo Testamento utiliza o termo "Gehenna" para designar o inferno. Gehenna é uma derivação do termo em hebraico Ge-Ben-Hinom que significa "Vale dos filhos de Hinom". Neste vale descartavam-se os cadáveres de pessoas indignas, os restos de animais e toda espécie de imundícies e lixo. O Vale de Hinom também foi notório em épocas passadas como o local do terrível culto ao demônio Moloch.

Nesta época, o vale foi invadido pelo exército de Josias e os idolatras massacrados. Sua idolatria e culto foram amaldiçoados por Jeremias nas Escrituras. Considerado como um local abominável pelos hebreus, o Vale de Hinom foi estigmatizado como a morada dos condenados. Jesus Cristo também utilizou o termo "Gehenna" para designar o inferno Cristão.

HELL

As Escrituras descrevem o inferno como um abismo para o qual os ímpios devem descender e indicam que está localizado no interior do planeta Terra: "No inferno, os condenados estarão completamente afastados de Deus, longe do Céu e da Sua Luz, presos nos abismos tenebrosos da Terra".

A presença do elemento químico enxofre, tradicional nas alusões ao inferno, assim como o fogo contínuo das profundezas abissais relatados tanto pelos evangelistas Cristãos como em outras religiões, mitos e lendas, leva-nos a intuir que a localização do inferno encontra-se abaixo da crosta terrestre, em câmaras ignescentes, isto é, em imensos reservatórios subterrâneos de magma.

As almas são formas imateriais de seres humanos que migram para outra dimensão após a extinção do corpo físico. A alma preserva a memória, valores e a consciência do ser humano original. Habitando nesta nova dimensão do Universo, o Paraíso, as almas mantêm as mesmas relações familiares e sociais que estabeleceram na Terra, além de estarem "imersas" no esplendor e na Glória de Deus.

Aonde se localizará ou como parecerá esta supra-dimensão, o Paraíso, é o maior mistério da humanidade em todos os tempos. O que podemos especular é como as almas condenadas ao inferno cumprirão suas penas no interior do planeta Terra, padecendo no magma superaquecido a uma temperatura de 1500 graus centígrados.

INFERNO

Não há nenhuma razão convincente para se refutar a localização do inferno das Escrituras e aceitá-la como uma metáfora ou transposição literária. Os teólogos geralmente aceitam a opinião de que o inferno é realmente dentro do planeta Terra.

A existência do inferno é negada por todos intementes que negam a existência de Deus e a imortalidade da alma, como os antigos gnósticos saduceus, seleucianos e os materialistas atuais. Mas, além destes casos, se nos abstrairmos da eternidade das penas do inferno observamos que a sua existência nunca conheceu qualquer oposição digna de menção.

A existência do inferno é confirmada nas Escrituras por Jesus Cristo e pelos Apóstolos, que pressupõem este conhecimento. Se novamente abstrairmos a eternidade da punição, a existência do inferno pode ser demonstrada até mesmo pela luz da razão.

Em Sua santidade e justiça, bem como em Sua sabedoria, Deus deve punir a violação da ordem moral de tal modo que preserve a proporção entre a gravidade do pecado e a gravidade da punição. Além disso, se a humanidade não temesse nenhum tipo de punição após a morte, as ordens moral e social estariam seriamente ameaçadas.

HELL

Se não houvesse uma retribuição para o que ocorre aqui na Terra poderíamos pensar que Deus é indiferente. Também não se pode dizer que os ímpios serão punidos somente pela perda da rica recompensa do bem ou que eles vão apenas desfrutar de algum grau menor de felicidade, pois isto seria um subterfúgio arbitrário e não suportado por qualquer razão sólida.

Desta forma, a punição positiva seria uma recompensa para o mal. Se os homens achassem que seus pecados não seriam punidos, que sofreriam uma mera extinção temporal no momento da morte ou mesmo a perspectiva de um grau menor de beatitude, isto não seria suficiente para dissuadi-los de perpetrar o mal absoluto.

Observamos em todas as religiões a convicção de que os malfeitores serão castigados após a morte e esta expectativa universal é também uma prova adicional para a existência do inferno, porque é impossível que a sabedoria fundamental dos seres humanos sobre o seu destino final esteja errada.

O poder da razão humana seria essencialmente deficiente e a ordem deste mundo demasiadamente misteriosa, o que é inconcebível tanto para a natureza humana quanto para a sabedoria do Criador, se o inferno não existisse. A crença de todas as pessoas sempre foi que a retribuição eterna virá imediatamente após a morte.

INFERNO

As Escrituras são bastante explícitas quanto ao fogo do inferno ser eterno e inextinguível, e sobre o fato de que os tormentos dos condenados serão eternos assim como serão as alegrias do Céu. Devemos prestar atenção ao testemunho dos primeiros mártires Cristãos, que muitas vezes declararam estar contentes em sofrer dores de curta duração em vez dos tormentos eternos.

Deus estipulou o fim da vida humana como o termo da provação do ser humano, pois neste momento já não terá lugar nenhuma mudança essencial ou importante. Assim, a partir do estado anterior da união com o corpo, a alma dos justos se liberta e transfere-se para outra dimensão. Não se sabe se os condenados ao inferno terão a forma incorpórea ou se suas almas ficarão presas a um corpo degradado pelos tormentos.

Embora não se saiba exatamente quanto tempo o fogo do inferno vai queimar suas vítimas, Jesus deixou claro que a quantidade de sofrimento a ser suportado será proporcional à dureza do coração de cada pecador. Seria pura especulação quantificar esta duração, mas podemos ter a certeza de que o sofrimento e a angústia dos condenados será além da nossa capacidade descritiva.

Aprendemos a arte de amar porque Deus nos amou primeiro e nos ensinou como retribuir. Certamente as pessoas devem ter respeito e preocupação com o castigo advindo dos seus atos incorretos, mas só o amor, e não o medo, poderá motivá-las a realmente entregar seu coração a um Deus de amor.

INFERNO

Jesus afirmou que o fogo do inferno não teria um significado punitivo para os seres humanos normais, não foi reservado para nós, pois ele foi preparado para o diabo, seus anjos caídos e eventualmente para pessoas terrivelmente más.

No entanto, aqueles que se recusam a aceitar o grande sacrifício de Jesus por eles e escolhem seguir o grande inimigo das almas, satanás, deverão partilhar daquele destino: "Satanás e seus seguidores serão destruídos, a Terra será purificada e a aflição não se levantará pela segunda vez. Os pecadores serão condenados para sempre e separados de Deus, a fonte da Vida".

Há alguns anos o Papa João Paulo II despertou intensos debates teológicos ao afirmar que o inferno era mais do que um lugar físico. Descreveu-o como um estado de ausência de Deus para aqueles que livremente e, definitivamente, separaram-se da fonte de toda a Vida.

O inferno, afirmou o Papa João Paulo II, não é uma punição imposta externamente por Deus e a Bíblia usa uma linguagem simbólica quando se refere ao inferno e às chamas eternas. O inferno não é um local físico, mas um "estado de ser" quando uma pessoa sofre a privação de Deus, concluiu o Papa.

INFERNO

Por muito tempo o inferno tem sido uma ferramenta utilizada para persuadir os pecadores a se redimirem. Não podemos negar que algumas passagens das Escrituras afirmam claramente que o fogo do inferno vai queimar "para sempre". Mas nas Escrituras, o termo "para sempre" é muitas vezes utilizado em conjunto com um evento que já ocorreu.

Mais de 50 vezes a Bíblia usa coloquialmente a expressão "para sempre", significando "pelo tempo que durar uma situação específica". Se Deus mantivesse pecadores penando num fogo eterno Ele falharia na Sua missão de livrar o mundo do pecado.

Não se pode imaginar uma nova Terra, como a prometida por Deus, onde por toda a eternidade poder-se-ia "ouvir" os gritos dos que sofrem no inferno, ou que, em algum canto do Universo, aqueles que amamos passam agonia por causa de pequenos erros cometidos durante uma vida relativamente curta na antiga Terra.

Ninguém poderia apreciar o Paraíso sabendo que talvez alguns dos seus entes queridos ou familiares estivessem sofrendo por toda a eternidade. Felizmente as Escrituras confirmam que a nova Terra será um lugar sem tristezas, dores ou penalizações.

INFERNO

Só mesmo os podres de espírito e desalmados, como os assassinos cruéis, os satanistas, os molestadores depravados e os comunistas intementes que odeiam a Deus, encontrarão o sofrimento eterno. Talvez nem seja um fogo eterno, mas sim uma existência na escuridão eterna.

Conseguem imaginar como seria viver durante uma eternidade no meio do nada, sem estímulos, sem luz, sem Deus, vagando para sempre num estado semicomatoso? Simplesmente terrível!

Para estes ainda resta um alerta, o vaticínio para quem traísse Jesus Cristo: "Pois o Filho do Homem irá, como foi escrito a Seu respeito. Mas ai daquele por quem o Filho do Homem será traído, porque melhor seria que não tivesse nascido".


1 comentários:

Anonymous said...

Putz...acabei de perder o sono!

Post a Comment