04 June 2016

VÍRUS ZIKA, EUGENIA E VACINA DTP - ZIKA VIRUS, EUGENIA AND DTP VACCINE

VIRUS-ZIKA-EUGENIA-DTP VACCINE

Em 1947, epidemiologistas da "Rockefeller Fundation" revelaram uma infestação virótica do gênero flavivírus, cujos hospedeiros naturais são mamíferos, assolando uma população de macacos na Floresta Zika, em Uganda, no leste da África. Em 1955, na Nigéria, o agora denominado "Zika Virus" foi também detectado hospedando-se em humanos, e a partir desta época outros focos infecciosos foram rastreados desde a África Central até o Sul Asiático.

Em 2015, uma epidemia causada pelo vírus Zika alastrou-se exponencialmente na América do Sul atingindo especificamente o Brasil, que logo identificou os primeiros casos no Rio Grande do Norte e na Bahia. O governo decretou estado de emergência quando o nascimento de bebês microcéfalos — portadores de uma pequenez anormal do crânio — atingiu a cifra de milhares, e afirmou que o vírus era o causador da microcefalia nos nascituros.

A microcefalia pode ser condição congênita ou adquirida por interações com o meio ambiente, desenvolvendo-se nos primeiros anos de vida de uma criança. A exposição através da mãe grávida, assim como a contaminação da mesma por substâncias nocivas ao desenvolvimento fetal, como os pesticidas e substâncias farmacêuticas contidas nas vacinas, também causam defeitos congênitos que carregam no DNA as síndromes genéticas hereditárias. Porém, desde o início do monitoramento do vírus em 1955, nunca houve qualquer registro de episódios de microcefalia associados à contaminação pelo Zika. 

VIRUS-ZIKA-EUGENIA-DTP VACCINE

Será que existe uma ligação direta entre os portadores do vírus ZiKa — as mães grávidas — e o nascimento de crianças com microcefalia? Poderia algum outro vetor desconhecido também ser o responsável pelo desenvolvimento anormal das nossas crianças? Agora podemos especular que a vacinação obrigatória das gestantes inoculadas com a tríplice bacteriana acelular DTPa (contra difteria, tétano e pertussis acelular) foi o possível vetor desencadeador da microcefalia nos nascituros.

Entre 2014 e 2015, o governo iniciou um programa compulsório de vacinação das gestantes pertencentes à classe de baixa renda no nordeste do Brasil. O que sabemos é que não havia qualquer incidência de casos de microcefalia entre a população alvo da vacina. Então, em dezembro de 2015, o governo declarou estado de emergência após 2.500 crianças serem diagnosticadas como portadores do estigma da microcefalia. E estas são estatísticas muito regulares que devem ser observadas de perto!

A  vacina DTPa é fabricada por duas empresas farmacêuticas: a francesa Sanofi Pasteur e a GlaxoSmithKline (GSK) do Reino Unido. É importante assinalar que estes fabricantes já estão desenvolvendo uma vacina contra o vírus Zika, prevista para entrar em ação dentro de três anos. Curiosamente, a Fundação Rockefeller não só detém os direitos de patente do vírus Zika desde a década de 1950 como agora licenciou seu uso em pesquisas para as empresas LGC Standards, do Reino Unido, e ATCC com sede nos EUA. 

VIRUS-ZIKA-EUGENIA-DTP VACCINE

Sem nenhuma surpresa, devido ao histórico de desmandos e arbitrariedades, o governo socialista-brasileiro divulgou a liberação de fundos públicos para "auxiliar" no desenvolvimento da nova vacina contra o vírus Zika. Mais uma vez não causa surpresa a ironia de desenvolverem uma vacina para resolver um problema que foi causado por outra vacina, e que essa nova vacina certamente agravará e criará um novo problema que exigirá mais vacinas. É uma lógica kafkiana levada ao extremo!

Foi através dos conluios entre governos corruptos — como o que reina no Brasil — com a FDA, CDC, OMS e a Big Pharma que conseguimos vislumbrar a estonteante indústria bilionária voltada para a eugenia, que está sendo implementada pela vacinação em massa. Desde o início do século, o movimento eugenista da Fundação Rockefeller, contrapondo-se à degeneração das raças, financia programas correlatos nos Estados Unidos, Alemanha e no Brasil, entre outras nações.

De acordo com a Food and Drug Administration (FDA) não foram realizados testes adequados em seres humanos — somente em cobaias — que permitissem a administração da vacina DTPa de forma segura nas gestantes. "Não se sabe que tipo de danos as vacinas podem causar ao feto ou como podem afetar a capacidade reprodutiva da mulher", reportam os pesquisadores do órgão governamental dos EUA.

VIRUS-ZIKA-EUGENIA-VACINA-DTP

Os próprios fabricantes das vacinas, Sanofi e GlaxoSmith, confirmam que os estudos sobre o efeito da vacina DTPa na fertilidade e genética humana durante a síntese proteica — responsável pela linguagem polinucleotídica do DNA —, assim como seu grau de toxicidade para os nascituros, são insuficientes para recomendar seu uso. Eles alertam que a vacina DTPa só deve ser aplicada em mulheres grávidas quando for "estritamente necessário"! [sic]

Os relatórios emitidos pelas entidades particulares — Vaccine Adverse Events Reporting System e Vaccinovigilance in Europe  —, revelaram que a vacina DTPa pode estar associada à inflamação do cérebro e ser a responsável pelas deformidades cranianas, como a microcefalia, em crianças no ventre das mães até aos cinco anos de idade de existência. Desta forma fica esclarecido que estes "efeitos colaterais" citados podem ser associados à epidemia de microcefalia que atingiu os bebês brasileiros.

Também não existem estudos sobre as respostas biológicas à vacinação e muito menos se podem afetar os resultados da gravidez e do parto. Não existem pesquisas sobre o estado de saúde das mães antes e depois da vacinação — como a medição das suas ondas cerebrais. Não aferiu-se a função imunológica e a resposta cromossômica após a vacinação, ou mesmo a integridade dos bebês em desenvolvimento no útero!

VIRUS-ZIKA-EUGENIA-VACINA-DTP

Existem ingredientes na vacina que não foram avaliados a partir do potencial da sua toxidade nos genótipos — alterando os genes e causando doenças hereditárias — ou pelos efeitos adversos no feto humano. Esta vacina contém alumínio, mercúrio (Thimerosal), conservantes e muitos outros ingredientes bioativos potencialmente tóxicos e perigosos, que podem afetar negativamente a saúde das crianças.

A vacina DTPa fabricada pela Sanofi Pasteur contém: fosfato de alumínio, formaldeído e glutaraldeído residuais, phenoxyethanola, meio de Stainer-Scholte, casaminoácidos, dimetil-beta-ciclodextrina, fosfato de glutaraldeído, alumínio, modificado de Mueller-Miller (?), casamino meio ácido, sulfato de amônia, fenoxietanol, água para injeção.

A vacina DTPa fabricada GlaxoSmithKline contém: hidróxido de alumínio, cloreto de sódio, formaldeído residual, polissorbato 80 (Tween 80), forma-latham derivado de caseína bovina, forma-fenton contendo extrato bovino, formaldeído puro, Stainer-Scholte líquido (?), glutaraldeído, hidróxido de alumínio, água para injeção.

VIRUS-ZIKA-EUGENIA-VACINA-DTP

Um recente artigo publicado pelo The Globe coloca mais lenha na fogueira, pois atraiu atenção do mundo para o fato de que milhões de mosquitos geneticamente modificados com o vírus Zika foram libertados no Brasil em julho de 2012. A empresa Oxitec, pau-mandado da Fundação Rockefeller, mantêm em solo brasileiro uma fazenda-criatório de mosquitos geneticamente modificados (GM) que supostamente reduziram a incidência da dengue no país.

É difícil separar o fato da ficção, mas quando tratamos dos insetos GM há muita coisa para nos preocuparmos. A Oxitec já lançou um grande número de moscas-oliveiras geneticamente modificadas para acabar com as pragas que infestavam as colheitas na Espanha. Nas Ilhas Cayman, mais de 5 milhões de mosquitos GM foram libertados e 70% da população nativa dos mosquitos foi suprimida em questão de anos. 

E se formos picados por um mosquito GM? Será que o DNA alienígena deste vetor experimental alteraria nosso genótipo? A Oxitec respondeu esta questão afirmando que só liberta mosquitos machos, "os inofensivos". Mas a triagem de milhões de insetos por gênero não é tarefa fácil de realizar! Mesmo com o esforço de libertar apenas machos GM, mais de 10% do total são de fêmeas esfomeadas em busca de sangue, confirma um representante dos Laboratórios Oxitec.

0 comentários:

Post a Comment