01 August 2012

DEUS E OS CIENTISTAS - GOD AND THE SCIENTISTS



Isaac-Newton

Isaac Newton (1643-1727), matemático e físico: "Devemos crer em um Deus e não ter outros deuses além Dele. Ele é Eterno, Onipresente, Onisciente, Onipotente, criador de todas as coisas, sábio, justo, bom e Santo. Devemos amá-Lo, temê-Lo, honrá-Lo e confiar Nele. Orar a Ele, dar-Lhe graças, louvá-Lo e santificar Seu nome, cumprir Seus mandamentos e dispor de tempo para honrá-Lo em culto".

Gottfried-Wilhelm-Leibniz

Gottfried Wilhelm Leibniz (1646-1716), matemático, engenheiro, filósofo e diplomata: "A verdadeira felicidade consiste no amor a Deus, porém num amor sem preconceitos, cujo fogo arde na luz do conhecimento. Este tipo de amor gera a alegria com boas ações, que dá apoio à virtude e, tendo Deus como centro, eleva o humano ao Divino".


Leonhard-Euler

Leonhard Euler (1707-1783), matemático e físico: "A verdadeira felicidade pode ser encontrada somente em Deus, todos os outros prazeres nada mais são do que uma máscara vazia e são capazes de produzir apenas uma satisfação momentânea".


alessandro-volta

Alessandro Volta (1745-1827), físico: "Submeti as verdades fundamentais da Fé a um estudo minucioso. Li as obras dos apologéticos e de seus adversários, avaliei as razões a favor e contra, e assim obtive argumentos relevantes que tornam a religião e a Bíblia tão dignas de confiança ao espírito científico, que uma alma com pensamentos nobres e ainda não pervertida por pecado e paixão não pode senão abraçá-la e afeiçoar-se a ela. Peço a Deus que minha profissão de Fé, que me foi solicitada e que eu forneço com alegria, escrita de próprio punho e por mim assinada, possa ser apresentada a todos, pois não me envergonho do Evangelho".


Wilhelm-von-Humboldt

Wilhelm von Humboldt (1767-1835), linguista, cofundador da primeira universidade de Berlim: "Os mistérios de Deus não são compreendidos, são adorados".


Karl-Friedrich-Gauss

Karl Friedrich Gauss (1777-1855), matemático e físico: "Existem questões a cuja resposta eu daria um valor infinitamente maior do que às matemáticas. Por exemplo, as questões sobre ética, sobre nosso relacionamento com Deus, sobre nosso destino e nosso futuro. Para a alma existe uma satisfação de espécie superior, para a qual dispenso o que é material".


Friedrich-Rückert

Friedrich Rückert (1788-1866), filólogo, pioneiro da orientalística na Alemanha: "Fé é uma necessidade do coração. Ausência de Fé não preenche lacunas. Onde se lançou fora a Fé proliferará a superstição".


Augustin-Louis-Cauchy

Augustin Louis Cauchy (1789-1857), matemático e físico: "Sou um Cristão, e isto significa que creio na divindade de Jesus Cristo juntamente com Tycho Brahe, Copérnico, Descartes, Newton, Fermat, Leibniz, Pascal, Grimaldi, Euler, Guldin, Boscowitsch, Gerdil, com todos os grandes astrônomos, todos os grandes pesquisadores das ciências naturais, todos os grandes matemáticos dos séculos passados. E se porventura me perguntarem pela razão, terei prazer em explicá-la. Verão que minha convicção é resultado de estudo cuidadoso e não de preconceitos".


Michael-Faraday

Michael Faraday (1791-1867), físico e químico: "Eu confio em certezas. Eu sei que meu Redentor vive e porque Ele vive eu também viverei".

Karl-Ernst-von-Baer

Karl Ernst von Baer (1792 - 1876), biólogo, pai da embriologia: "O bondoso Criador colocou quatro desejos no homem, pelos quais podemos dizer que são segundo a imagem de Deus. A Fé, a consciência, o desejo de saber e o sentido pela estética".


Justus-von-Liebig

Justus von Liebig (1803 - 1873), químico, patrono da Universidade de Giessen, Alemanha: "O conhecimento da natureza é o caminho para a admiração do Criador".


Alexis-de-Tocqueville

Alexis de Tocqueville (1805 - 1859), cientista político e historiador: "O povo, se quiser ser livre, há de ter convicções religiosas. Em não tendo Fé, servirá".

James-Prescott-Joule

James Prescott Joule (1818-1889), físico: "Após conhecer e obedecer à vontade de Deus, o próximo alvo deve ser conhecer algo dos Seus atributos de sabedoria, poder e bondade evidenciados nas obras de Suas mãos".

Louis-Pasteur

Louis Pasteur (1822-1895), microbiólogo e químico: "Quanto mais eu estudo a natureza mais fico impressionado com a obra do Criador. Nas menores de suas criaturas Deus colocou propriedades extraordinárias. Proclamo Jesus como Filho de Deus em nome da ciência. Meu espírito científico, que dá grande valor à relação entre causa e efeito, compromete-me a reconhecer que, se ele não o fosse, eu não mais saberia quem Ele é. Mas Ele é o Filho de Deus. Suas palavras são divinas, Sua vida é divina, e foi dito com razão que existem equações morais assim como existem equações matemáticas".


James-Clerk-Maxwell

James Clerk Maxwell (1831-1879), físico e matemático: "Juntamente com a Assembléia de Westminster e todos que a precederam eu creio que o fim principal do homem é glorificar a Deus e apreciá-Lo para sempre".


John-William-Strutt-Lord-Rayleigh

John William Strutt, Lord Rayleigh (1842-1919), ganhador do Prêmio Nobel de Física de 1904: "Muitas pessoas excelentes temem a ciência como tendendo ao materialismo. Não é surpreendente que tal apreensão exista, pois, infelizmente, há escritores falando em nome da ciência que se fixaram a fomentá-la. É verdade que entre os homens de ciência, como em outros ramos, pontos de vista pouco refletidos podem ser encontrados a respeito das coisas mais profundas da natureza. Mas, que as crenças a que Newton, Faraday e Maxwell aderiram toda uma vida seriam incompatíveis com o hábito científico da mente é, sem dúvida, uma proposição que eu não preciso me delongar em refutar".


Max-Planck

Max Planck (1858-1947), ganhador do Prêmio Nobel de Física de 1919: "Desde a infância a Fé firme e inabalável no Todo Poderoso e Todo Bondoso tem profundas raízes em mim. Decerto Seus caminhos não são nossos caminhos, mas a confiança Nele nos ajuda a vencer as provações mais difíceis. Religião e ciência natural combatem unidos numa batalha incessante contra o ceticismo e o dogmatismo, contra a descrença e a superstição. E a palavra de ordem nesta luta sempre foi e para todo sempre será em direção a Deus! A prova mais imediata da compatibilidade entre religião e ciência natural, mesmo sob análise detalhada e crítica, é o fato histórico de que justamente os maiores cientistas de todos os tempos, homens como Kepler, Newton, Leibniz, estavam imbuídos de profunda religiosidade".

Roberto-Landell-de-Moura

Roberto Landell de Moura (1861- 1928), pioneiro do rádio: "Eu sempre vi nas minhas descobertas uma dádiva de Deus. E como, além disso, sempre trabalhei para o bem da humanidade, tentando provar ao mesmo tempo que a religião não é incompatível com a ciência, folgo em ver hoje realizado na prática utilitária aquilo que foi meu sonho de muitos dias, muitos meses, muitos anos".

Herbert-George-Wells

Herbert George Wells (1866-1946), historiador e escritor: "Como historiador preciso admitir que este pobre pregador da Galiléia inevitavelmente é o centro da história".


André-Siegfried

André Siegfried (1875-1959), educador e cientista político: "Nossa visão espiritual, e não apenas a puramente racional do homem, nós a devemos à tradição judaica que teve no Evangelho um desdobramento tão grandioso. Os profetas de Israel, aqueles brilhantes e devotos líderes do seu povo, plantaram no nosso espírito a sede de justiça que caracteriza socialmente o Ocidente".


Albert Einstein

Albert Einstein (1879-1955), ganhador do Prêmio Nobel de Física de 1921: "A todo cientista minucioso deve ser natural algum tipo de sentimento religioso, pois não consegue supor que as dependências extremamente sutis por ele vislumbradas tenham sido pensadas pela primeira vez por si próprio. No Universo incompreensível revela-se uma razão ilimitada. A opinião corrente de que sou ateu baseia-se num grande engano. Quem julga deduzí-la de minhas teorias científicas, mal as compreendeu. Entendeu-me de forma equivocada e presta-me péssimo serviço".

Friedrich-Dessauer

Friedrich Dessauer (1881-1963), físico, pai da engenharia biomédica: "No fundo o ideal do homem Cristão é a superação heroica de tudo o que rebaixa, naturalmente não apenas por força própria, que é insuficiente, mas com ajuda da Graça de Deus".

Arthur-Holly-Compton

Arthur Holly Compton (1892-1962), ganhador do Prêmio Nobel de Física de 1927: "Para mim, a Fé começa com a constatação de que uma inteligência suprema chamou o Universo à existência e criou o homem. Não me é difícil crer nisso, pois é inegável que onde há um plano há também inteligência. Um universo ordenado e em desdobramento atesta a verdade da declaração mais poderosa que jamais foi proferida: No princípio Deus criou".


Arnold-Joseph-Toynbee

Arnold Joseph Toynbee (1889-1975), historiador: "E agora, quando olhamos para a outra margem, um único vulto ergue-se das águas e preenche todo o horizonte. É o Salvador! Deus encarnado no Homem Jesus de Nazaré".


Werner-Heisenberg

Werner Heisenberg (1901-1976), ganhador do Prêmio Nobel de Física de 1932: "O primeiro gole do copo das ciências naturais torna-o ateu, mas no fundo do copo Deus aguarda".

Walter-Heinrich-Heitler

Walter Heinrich Heitler (1904-1981), físico, recebedor da medalha Max Planck de 1968: "Natureza definitivamente não pode ser discutida de modo completo em termos científicos sem incluir também a indagação por um Criador".


Nevill-Mott

Nevill Mott (1905-1996), ganhador do Prêmio Nobel de Física de 1977: "Os milagres da história humana são aqueles que Deus falou aos homens. O supremo milagre para os Cristãos é a Ressurreição. Alguma coisa aconteceu àqueles poucos homens que conheciam Jesus que os levou a acreditar que Ele estava vivo, com tal intensidade e convicção que esta Fé permanece a base da Igreja Cristã dois mil anos depois".


Carlos-Chagas-Filho

Carlos Chagas Filho (1910-2000), médico, membro da Academia Brasileira de Ciências: "Estou procurando mostrar que não há incompatibilidade entre a verdade científica e a Revelação, pois são duas coisas que tratam de espaços diferentes. Uma trata da realidade da vida, a outra trata do transcendental. E a Bíblia, que é um livro muito interessante de ser lido, principalmente Isaías, não procura ensinar nada de ciência, e sim uma ordem moral. A Bíblia não quer ensinar como é que se fez o Céu, mas quer ensinar como é que se vai para o Céu. Trata-se de um preceito teológico muito importante relativo à questão de Graça, a pessoa acredita ou não. Agora, como eu respeito as pessoas que não creem, quero também que elas respeitem a sinceridade de minha Fé".


Wernher-von-Braun

Wernher von Braun (1912-1977), pioneiro da exploração espacial: Minhas experiências com a ciência conduziram-me a Deus. Desafiam a ciência a provar a existência de Deus. Mas precisamos realmente acender uma vela para ver o Sol?"


Charles-Townes


Charles Townes (1915-), ganhador do Prêmio Nobel de Física de 1964: "Você pode perguntar, onde exatamente Deus entra em tudo isto? Talvez minha narrativa possa lhe dar algumas respostas, mas para mim a pergunta quase não faz sentido. Se você crê em Deus, não existe um "onde" em particular. Ele sempre está presente. Para mim Deus é pessoal e também Onipresente. Uma grande fonte de força. Ele fez uma enorme diferença para mim".


Arthur-L-Schawlow

Arthur L. Schawlow (1921-1999), ganhador do Prêmio Nobel de Física de 1981: "Eu encontro uma necessidade por Deus no Universo e em minha própria vida. Somos afortunados em termos a Bíblia, e especialmente o Novo Testamento, que nos fala de Deus em termos humanos muito acessíveis, embora também nos deixe algumas coisas difíceis de entender".


Antony-Hewish

Antony Hewish (1924-), ganhador do Prêmio Nobel de Física de 1974: "Eu creio em Deus. Não faz o menor sentido para mim supor que o Universo e nossa existência são apenas um acidente cósmico ou que a vida emergiu por processos aleatórios em um ambiente que, apenas por acaso, tinha as propriedades certas. Como um Cristão, começo a compreender o que é a vida através da Fé num Criador, revelado por um Homem nascido há cerca de 2000 anos".

John-Polkinghorne

John Polkinghorne (1930- ), físico, teólogo, ex-presidente do Queen's College, Cambridge: "Eu creio apaixonadamente na teoria quântica, mas tal crença não ameaça mudar minha vida de forma significativa. Não posso crer em Deus, no entanto, sem saber que devo ser obediente á Sua vontade para mim. À medida que ela se torna conhecida a mim. Deus não está aí apenas para satisfazer minha curiosidade intelectual, Ele está aí para ser honrado, respeitado e amado como meu Criador e Salvador. Cuidado! Deixe-me fazer um aviso teológico de saúde, ou melhor, uma promessa. Ler a Bíblia pode mudar sua vida".


Arno-Allan-Penzias

Arno Allan Penzias (1933-), ganhador do Prêmio Nobel de Física de 1978: "Eu olho para Deus através das obras de Suas mãos e estas obras implicam intenções. Destas intenções recebo uma impressão do Todo Poderoso".


William-Daniel-Phillips

William Daniel Phillips (1948- ), ganhador do Prêmio Nobel de Física de 1997: "Muitos cientistas são também pessoas com uma Fé religiosa bastante convencional. Eu, um físico, sou um exemplo. Creio em Deus como Criador e como amigo. Isto é, creio que Deus é pessoal e interage conosco".



Francis Sellers Collins (1950- ), geneticista, ex-diretor do Projeto Genoma Humano: "Não tenho razão para ver uma discordância entre aquilo que sei como cientista, que passa o dia inteiro estudando o genoma humano, e aquilo que creio como alguém que presta muita atenção ao que a Bíblia me ensinou sobre Deus e sobre Jesus Cristo. A noção de que você deve escolher entre um e outro é um mito terrível que tem sido proposto, e que muitas pessoas têm aceito sem real oportunidade de examinar a evidência".

Referências: Jörg Gutzwiller, J. Gutzwiller - Das Herz, etwas zu wagen , Friedrich Bahn Verlag: Neukirchen-Vluyn, 2000. ISBN 3761593031. A. Lamont, James Joule" Creation , v. 15, p. 47–50, 1993. Henry Margenau e Roy Abraham Varghese : H. Margenau; R.A. Varghese - Cosmos, bios, theos: scientists reflect on science, God, and the origins of the universe, life and homo sapiens , Open Court: Chicago, 1992. ISBN 0812691865. M. Planck - Vorträge und Erinnerungen , S. Hirzel Verlag, Stuttgart, W.H. Heitler - Die Natur und das Göttliche , Klett und Balmer, Zug, 1974. ISBN 3720690016. H. Muschalek - Gottbekenntnisse moderner Naturforscher, Morus, Berlim, 1964. Nobelists and God, de Tihomir Dimitrov. Nobel Laureates pro Intelligent Design of the Universe and LifeWolf-Ekkehard Lönnig, Max Planck.

0 comentários:

Post a Comment